Leia também:
X Guedes sobre a inflação: ‘Preços estão subindo em todo mundo’

Bolsonaro descarta interferir na Petrobras ou congelar preços

Presidente tem se articulado com ministros para frear a alta dos combustíveis

Pleno.News - 08/10/2021 18h51 | atualizado em 09/10/2021 11h53

Presidente Jair Bolsonaro disse que não tem poder para interferir na Petrobras Foto: PR/Alan Santos

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (7) que tem conversado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a condução da política econômica nacional.

– Tenho falado com Paulo Guedes, não basta a economia, você tem que ter viés político – afirmou o chefe do Executivo na cerimônia alusiva à 1ª Feira Brasileira do Nióbio, em Campinas (SP).

Apesar disso, Bolsonaro garantiu que não vai interferir na Petrobras ou congelar o preço dos combustíveis na canetada.

– Não tenho poder sobre Petrobras. Já tivemos experiência de congelamento no passado – lembrou.

ALTERAÇÃO NO ICMS
Com apoio do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), o Executivo quer alterar a incidência do ICMS sobre os combustíveis, mas enfrenta resistência de governadores. Nesta sexta, a Petrobras reajustou a gasolina e o gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de cozinha, em 7,2%.

Apesar da insatisfação com a alta dos preços, Bolsonaro também garantiu que não haverá rompimento de contratos em seu governo.

– Quando se fala em combustível, nós somos autossuficientes, mas por que esse preço atrelado ao dólar? Eu posso agora rasgar contratos? Como é que fica o Brasil perante o mundo? – questionou.

*AE

Leia também1 Em evento, Bolsonaro é criticado e ironiza: "São dignos de pena"
2 Guedes sobre a inflação: ‘Preços estão subindo em todo mundo’
3 Bolsonaro ultrapassou 1 milhão de inscritos no Telegram
4 Lula diz que regulação da mídia "não é assunto de presidente"
5 Governo federal doa imóvel para Fiocruz ampliar combate à Covid

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.