Leia também:
X Sergio Moro e Contarato batem boca na CCJ do Senado

Alimentos típicos da Páscoa estão 14,8% mais caros este ano

Alto custo de vida afeta o poder de aquisição do brasileiro

Pleno.News - 29/03/2023 21h20 | atualizado em 30/03/2023 10h43

Bacalhau Foto: Reprodução/YouTube

Neste ano, a lista de produtos que compõem a cesta da Páscoa está 14,8% mais cara do que a do ano passado, revelou nesta quarta-feira (29) a Associação Paulista de Supermercados (Apas).

Um dos produtos que contribuíram para o aumento no preço da cesta foi o bacalhau, cujo preço subiu 7,4% no acumulado dos últimos 12 meses, mas a cebola liderou a alta, com 36,2% de aumento no período.

Também ficaram mais caros no acumulado entre a Páscoa do ano passado e a deste ano as cervejas, que subiram 10,9%, o refrigerante (15,7%), a batata (11,7%), o arroz (14,7%), o bombom (11,15%) e o chocolate (10,2%). O único produto da cesta que ficou mais barato nessa comparação foi a corvina, que caiu 7%.

Segundo o diretor-geral da Apas, Carlos Correa, o ideal é o consumidor pesquisar os preços antes de fazer as compras para a Páscoa.

– Cada supermercado tem uma negociação diferente com a indústria. É vital que o consumidor faça a sua lista de compras e pesquise os preços no maior número de lojas possível, aproveitando ao máximo as promoções típicas da época – disse Correa, em nota.

A Páscoa é a segunda data de maior venda para o setor supermercadista do Brasil, perdendo apenas para o Natal.

Neste ano, a Apas estima crescimento de 4,5% nas vendas de Páscoa. A entidade atribui essa possível expansão do setor à desaceleração no preço dos alimentos, aliada ao aumento da renda da população.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também1 Após críticas de Lula ao BC, bolsa fecha no pior nível em 8 meses
2 Pesquisa: Inflação e juros fazem vale-refeição durar só 11 dias
3 Montadoras paralisam produção e dão férias coletivas; saiba mais
4 Moro responde ataque de Lula: "Quer se vingar do brasileiro"
5 Ovo ficou mais caro em todas as capitais, diz pesquisa da FGV

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.