Leia também:
X ‘Petista’ não comprou carro de luxo antes de vencer na loteria

Policial youtuber é alvo de fake sobre agressão em velório

Vídeo mostra que militante de esquerda iniciou agressão verbal contra PM

Paulo Moura - 23/09/2019 09h36 | atualizado em 23/09/2019 09h40

Policial foi alvo de fake news sobre agressão no velório de Ágatha Foto: Reprodução

O policial militar e youtuber Gabriel Monteiro está sendo alvo de fake news propagadas por portais de esquerda na internet. Segundo as publicações, Gabriel teria agredido pessoas no velório da menina Ágatha, morta na noite da última sexta-feira (20). Um vídeo publicado no canal do Youtube do policial, porém, mostra o contrário.

No início da publicação, Gabriel afirma que foi chamado para um debate por um rapaz chamado Felipe, que seria estudante de Direito e morador do Morro do Adeus, na Zona Norte do Rio. O garoto inicia criticando a política de segurança do Governador Witzel e questiona o trabalho da polícia em incursões feitas pela corporação.

O debate segue tranquilo entre os dois, até o momento em que o rapaz se altera, após Monteiro citar as estatísticas do trabalho da polícia em relação a apreensão de fuzis nos morros. Durante o vídeo é possível perceber que o jovem xinga Gabriel diversas vezes e ameaça o policial de agressão, enquanto o PM tenta manter a calma.

O vídeo publicado encerra com o policial entrando no carro, após ser impedido de ir embora pelo estudante. Nos comentários, Gabriel afirmou que seu carro foi apedrejado.

– Convidou-me para conversar, chamou uma multidão de pessoas e tentou me impedir de fugir, me xingando e agredindo. Meu carro foi apedrejado. Tive que me defender – completou.

Leia também1 'Petista' não comprou carro de luxo antes de vencer na loteria
2 Ator Duda Nagle vai a público para dizer que não morreu
3 CNN Brasil nega contrato com o jornalista Cesar Tralli

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.