Leia também:
X Dinheiro de fiéis não foi para a conta de Malafaia

Fake! Maias não previram fim do mundo para este domingo

Especialistas apontam que previsão na verdade era apenas o fim de um ciclo cronológico

Paulo Moura - 16/06/2020 13h55 | atualizado em 16/06/2020 13h57

Previsão de fim do mundo pelos Maias é falsa Foto: Reprodução

Fim do mundo é um tema que frequentemente aparece na internet. Novas teorias, com os métodos mais bizarros possíveis, sempre tentam adivinhar quando o planeta Terra será extinto.

A última delas, por exemplo, afirmou que o calendário Maia, que teria previsto o fim do mundo para 2012, cometera um equívoco no cálculo e que na verdade a extinção aconteceria neste domingo (21). Apesar de ser compartilhado por grandes veículos, tal cálculo ou a “previsão” do fim do mundo pelos Maias nunca sequer existiu, é falso.

O BOATO
A notícia que circula em diversos sites aponta para um cientista, de nome Paolo Tagaloguin, que afirmava ter encontrado um possível erro no calendário Maia. Para ele, esperamos em vão o fim dos tempos no dia 21 de dezembro de 2012 já que a data final é, na verdade, 21 de junho de 2020.

Porém, o tal “cientista” apontado como fonte das informações, que foram retiradas das redes sociais dele por jornais ingleses como o The Sun, simplesmente excluiu as alegações. Em pesquisas sobre ele, a descoberta foi de que Tagaloguin nem sequer é estudioso das áreas de Arqueologia, Antropologia ou áreas relacionadas.

POR QUE A NOTÍCIA É FALSA?
Especialistas apontam que o povo Maia sequer previu o fim do mundo. O que na verdade foi visto como apocalipse, era apenas o fim de um ciclo, como o fim do ano no calendário.

– Isso [a data classificada como o fim do mundo] não significa que o mundo vai acabar nesta data, a única coisa é que esta data vai significar o fim do ciclo baktún 13 do calendário maia, ou seja, simplesmente, estamos falando do final do baktún 13 para que se comece uma nova etapa – disse o arqueólogo Daniel Juárez Cossío, responsável pela ala dedicada à civilização maia no Museu Nacional de Antropologia do México, ainda em 2012, quando o boato surgiu.

Outra constatação de que a afirmação é falsa é a alegação de que existiria um erro de cálculo de oito anos entre a profecia original e a nova. A justificativa para isso seria a transição do calendário juliano para o gregoriano. Porém, apesar da tentativa, a explicação também não procede.

Em 1582, o Papa Gregório XIII, aconselhado pelos astrônomos, decretou que quinta-feira, 4 de outubro de 1582, seria imediatamente seguida da sexta-feira, 15 de outubro, para compensar a diferença acumulada ao longo de séculos. Ou seja, os produtores da notícia falsa transformaram uma diferença de dez dias em oito anos.

Leia também1 Covid se desenvolve em climas amenos e secos, diz estudo
2 Saiba quem são os maiores financiadores da OMS
3 Bolsonaro defende fim das restrições após fala da OMS
4 Gabriel Monteiro desmente fake news de que foi agredido
5 Número 2 da Saúde, coronel usa broche de 'faca na caveira'

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.