Vida amorosa: Como quebrar o “código dos homens”

Especializado em relacionamento e conquista, o youtuber Italo Ventura ajuda mulheres a se valorizarem e evitarem armadilhas na vida afetiva

Virgínia Martin - 31/10/2019 14h00

Casado e com dois filhos, Italo confessa que já viveu como um homem cafajeste Foto: Arquivo Pessoal

A voz e o rosto de Italo Ventura estão no Youtube. Seu canal é visto por milhares de mulheres, atraídas pelas orientações de um homem que faz uma proposta: “Mulheres, valorizem-se!” Italo tem 31 anos, é casado com Flavia Ramos há quatro anos e tem dois filhos pequenos. Ele confessa que já viveu como um homem cafajeste na época em que frequentava baladas e tinha várias mulheres ao mesmo tempo. O tempo de seis anos neste tipo de vida rendeu experiência ao youtuber. Mas depois de muita insatisfação, decidiu mudar de vida, aprendeu o que é um relacionamento de verdade e conquistou a mulher de sua vida.

Mas Italo percebeu que podia ajudar muitas mulheres que sofriam com desilusões amorosas. Afinal, ele tinha estado do outro lado da situação, o lado que fere corações. Por meio de vídeos, resolveu “quebrar o código dos homens”, como ele mesmo fala, e há quase dois anos vem orientando o público feminino com dicas e estratégias. Sua missão é gerar consciência e estímulo para que suas seguidoras se tornem mulheres de alto valor.

Formado como coach, Italo está estudando A Arte do Relacionamento pela Florida Christian University. Em seu canal, ele se apresenta como Coach de Relacionamentos e Especialista em Conquista e trata de variadas situações, ações e reações masculinas, orientando mulheres a como se comportar para que alcancem um relacionamento de qualidade e com o homem certo. Em entrevista ao Pleno.News, o professor e “quebrador de códigos masculinos” explica sobre o que tem para ensinar e o que pensa sobre comportamentos femininos e masculinos.

Como chegou à conclusão de que este nicho de mulheres com desafios em relacionamentos afetivos poderia se tornar um canal a ser explorado?

Começou de forma despretensiosa. Eu queria simplesmente publicar algumas coisas. Foi quando percebi minha irmã tendo problemas de relacionamento, assim como eu também tive. Acho que a maioria de nós não tem bons exemplos de relacionamento ao nosso redor. Eu mesmo cresci com modelos distorcidos de realidade, baseados em filmes hollywoodianos, histórias da Disney e novelas. Eu idealizava de forma desproporcional.

Hoje sou casado e vivo um relacionamento incrível com minha esposa e posso dizer que dá para viver isso. Mas é preciso saber que a realidade difere da ficção, o que me custou muita energia e tempo até que eu entendesse isso. E se conquistei um relacionamento maravilhoso com minha mulher, vi que eu poderia ajudar outras pessoas e que eu tinha algo bom para agregar.

Resolvi fazer um canal para mulheres porque me conecto muito mais com a causa delas, com o motivo delas estarem buscando um bom relacionamento. E sei que muitas mulheres estão cansadas de investir em pessoas que abalam sua auto-estima.

Qual a percepção dos efeitos que seu canal tem causado na vida das mulheres?

Não tenho plena noção sobre o que tenho causado, mas os relatos de pessoas que me seguem ou de minhas aulas são positivos. Descobri que este trabalho é muito mais bonito e profundo do que aparentemente parece. A cada dia sou apaixonado em fazer isso. A percepção que tenho é de que quando ajudo uma mulher a mudar por dentro e que ela pode se tornar uma mulher de auto-valor, os efeitos colaterais são enormes e isso transborda para além dela.

Quando uma mulher começa a ser a protagonista de sua própria vida, sem depender dos outros, ela se torna mais bonita e confiante. As pessoas se encantam com ela. E é importante que estas mulheres, que são mães ou que vão se tornar mães, possam passar esta postura de vida para suas filhas.

Depois que me tornei pai, meu valor maior é a família. Hoje eu digo que primeiro quero atingir mil mulheres, depois mil casais e depois mil famílias. Meu foco é ajudar com boas escolhas e formar boas famílias. Esta é minha missão.

Você sempre fala sobre “quebrar o código dos homens”. Defina esta ação.

Durante seis anos, eu vivi e pensei como um cafajeste. Assumia isso e achava legal estar saindo com duas ou mais mulheres ao mesmo tempo. Eu não percebia que se tratava do fato de eu ser um homem com um ego ferido. Levei um fora de uma menina, com um rompimento do nada, aos 18 anos e pensei que não valia a pena ser bonzinho e romântico. Eu associei meu perfil com o término.

Eu era um romântico descomunal. Agia de forma idealizada e, de repente, fui para o oposto. Achava que tinha que me tornar um cafajeste.

Hoje sei que não é nada disso. Mas como passei por todo este processo, posso dizer que conheço bem o “código dos homens” e que é possível quebrá-lo. Não é que seja um código secreto que só eu conheça. Apenas mostro que homens têm medo e muitos têm o ego ferido, agem conforme este estado. Uma mulher pode desarma-lo. Até porque esta não é a essência dele, que também deseja amar.

Depois que me tornei pai, meu valor maior é a família. Quero ajudar mil mulheres, depois mil casais e depois mil famílias.

Algum homem já reclamou sobre você estar desvendando estes códigos, ou seja, facilitando a conquista para as mulheres e dificultando para os homens?

Acontece, as vezes. Mas minhas seguidoras me defendem e meu conteúdo acaba repelindo este cara. 3% de meus seguidores são homens e acho que alguns devem rastrear o que estou fazendo. Mas meu foco não é me preocupar com isso. Alguns homens levam na esportiva, dizendo “faz isso não, é jogo sujo”. Mas meu conteúdo é direcionado ao comportamento da mulher e sobre ela se valorizar. Pessoas que não estão alinhadas com este valor não serão atraídas para o meu canal.

Neste nosso contexto atual, diante de mulheres modernas e independentes, o que você avalia como problemas das mulheres de hoje com relação aos homens?

Eu entendo que as mulheres de hoje são independentes e isso pode ser uma bênção e também uma maldição. As mulheres conquistaram muita coisa ao longo do tempo, como sua independência financeira e emocional. Isso é maravilhoso. Porque mulheres de hoje conseguem resolver muita coisa por si mesmas.

A maldição pode acontecer quando isso não tem um equilíbrio, quando a força descomunal da independência faz com que uma mulher diga aos quatro ventos que não precisa de homem para nada. De fato, ela até pode não precisar. Ela resolve várias coisas em várias áreas, assim como homem não precisa da mulher. Mas se cada um ficar nesta briga de que ninguém precisa de ninguém, acabarão movidos por um sentimento de desqualificação, de invalidez e não vai acontecer o amor.

Seu eu digo para uma pessoa que eu não preciso dela para nada, seja quem for, é como dar um atestado de incapacidade ao outro. E essa pessoa irá se afastar de mim, não importa se seja homem ou mulher. Portanto, foque em você e em sua independência, viva o seu protagonismo. Mas não esqueça de que a vida de um homem é bem melhor com uma mulher do lado e a vida de uma mulher é muito melhor com um homem do lado. Mas os dois precisam ser pessoas inteiras e não viver como a metade de uma laranja.

Outro problema que vejo é com relação à heranças do passado. Massacres emocionais vividos por muitas mulheres que acabam vivendo em conflito. E ainda existe a dificuldade da humanidade atual que é criar conexões emocionais profundas. Estamos na era de internet, do iphone, das mídias sociais e estamos reagindo artificialmente por meio de áudios ou pelas redes. E não desenvolvemos mais os músculos sociais. Mais uma vez, é preciso ter equilíbrio.

Quando uma mulher começa a ser a protagonista de sua própria vida, sem depender dos outros, ela se torna mais bonita e confiante

Há diferença nas dificuldades entre mulheres jovens e mulheres maduras no quesito amor?

Acredito que não haja diferença. Tudo parte de como está o mundo interior de cada um. Não importa idade, sexo, aparência, o que conta são os vícios emocionais e o que vem determinando a vida de acordo com as crenças interiores. Já vi mulheres lindas e bem-sucedidas terem muitos conflitos. Então, é sempre importante e desafiador ajustar algumas crenças, como “não mereço ser amada”, “os homens não prestam”, “eu preciso sofrer”.

Toda mulher precisa mudar por dentro, ajustar seus valores, se desvencilhar de vícios mentais e não tolerar mais o que a puxa para baixo. Certa vez, ouvi o coach Paulo Vieira dizer que você só vive aquilo que você tolera. E é verdade.

Muitas mulheres pensam que a solução da vida delas é um homem, que vai salvar a vida delas Foto: Arquivo Pessoal

Você já disse que “esteve do lado de lá” como tipo de homem que enrola mulheres. O que fez você mudar e hoje ajudar pessoas a terem e manterem relacionamentos de qualidade?

Estive do lado de lá por reação. Estava machucado e ferido. E acabei acreditando em uma crença infundada de que mulheres gostavam de homens cafajestes. Tudo isso passou, mas me trouxe a melhor formação e a mais cara vivência em seis anos, quando eu saia de quarta a domingo, investindo em baladas etc. Não foi nada barato. Mas me deu formação na prática e não na teoria.

Quando quis mudar, eu decidi sair do piloto automático. Desejei ter alguém para viver do lado, encontrei minha esposa. E hoje quero ajudar novos casais e famílias.

Você incentiva mulheres a se tornarem mulheres de valor. O que acha que está faltando para a mulherada se conscientizar dos benefícios desta possibilidade?

Falta o protagonismo. Muitas mulheres pensam que a solução da vida delas é um homem, que um homem vai salvar a vida delas, que um homem vai ser a razão da melhora da vida delas. Só que um homem complementa. É a mulher que faz sua própria vida e vive seu papel de protagonista.

O relacionamento afetivo é importante, mas ele só vai potencializar o que cada mulher já está vivendo. Se você não está feliz, se está ansiosa, com conflitos, o relacionamento vai ativar tudo isso. Mas você está feliz com você mesmo, está vivendo seus sonhos, seus projetos, um relacionamento vai potencializar o que você tem por dentro. É preciso buscar o amor dentro de você, antes de buscar o amor fora.

Um homem inteligente vai querer estar a altura de uma mulher de valor

Diante de uma sociedade machista e cheia de violência doméstica, que conselho dá para o público feminino a procura de amor?

Não aceite menos do que você merece. Se você é sua própria protagonista, você não precisa de alguém para viver, para ser feliz e realizada. Não tolere maus-tratos. Pratique o amor por você mesma. Mulher sem amor-próprio está desnutrida e pode ser presa fácil.

Não aceite ser coadjuvante. Quando você é completa, você não tolera mais viver uma vida e uma relação medíocres.

O que os homens, sejam novos ou maduros, estão pensando sobre as mulheres e como, de fato, desejam se relacionar com elas?

Todos só têm a ganhar. Quando um homem tem uma mulher que é auto-suficiente e se valoriza, ele ganha. Ela puxa esse homem para cima. Porque quando você não se ama, você vai atrair um homem de baixa auto-estima e ele vai querer impor este estado dele em cima de você. A mulher tem que dizer o que ela tolera ou não.

Mas um homem inteligente vai querer estar a altura de uma mulher de valor. É uma reação natural dele. Não se trata de competição. Como esta mulher é incrível e independente, os dois se beneficiam. Mas quando a mulher não está bem, ela vai pensar que determinado homem é a melhor coisa que aconteceu na vida dela.

O que aconselha para uma pessoa que está bloqueada emocionalmente e não consegue encontrar um relacionamento de qualidade?

Alguma coisa aconteceu que criou este bloqueio. Mas não odeie todas as rosas porque uma te espetou. Não se boicote porque alguém te machucou. É preciso tratar desta fratura emocional. Certa vez, eu quebrei meu pé e precisei engessar. Mas ao retirar o gesso, tive medo de pisar de novo. Precisei de uma fisioterapia. Assim, é preciso voltar a andar sem medo.

Nossa mente é um jardim fértil. O que você tem plantado? Uma macieira dá bons frutos quando a terra e as raízes dela são boas, quando a semente dela foi boa. Sementes são o que pensamos. Se você se fechar para o amor e achar que nada dá certo, serão estas sementes que estarão plantadas na sua mente. Busque gerar sementes de confiança, de capacidade e de amor.

Porque quando você não se ama, você vai atrair um homem de baixa auto-estima

Afinal, o que faz um homem de hoje lutar por uma mulher?

O protagonismo da mulher. O fato dessa mulher não fazer dele a melhor coisa do mundo. Porque, primeiramente, ela está comprometida com a felicidade dela, vivendo os sonhos e projetos dela. E ela não aceita menos do que ela merece. E isso é muito afrodisíaco.

Mulheres que sabem ser doces, femininas, acolhedoras, mas, ao mesmo tempo, se valorizam. Elas não menosprezam o homem. Apenas aceitam que ele compartilhe uma história de vida ao lado dela. Ela valoriza o homem, mas tem um compromisso com sua felicidade. Só assim consegue fazer o outro feliz. Ela é magnética e o homem sabe que ela tem algo diferente.

Alguém pode dizer que não consegue ser esta mulher. Diz que não consegue porque não acredita nela mesma.

E como funciona sua mentoria?

Eu ajudo minhas alunas a “limparem o para-brisa que está embaçado” e dificulta a visão da vida afetiva. Meu meu papel, como mentor, é proteger a confiança delas. Alerto sobre possíveis alucinações e armadilhas.

LEIA TAMBÉM+ Casal emociona ao esperar para dar o 1º beijo no altar
+ Juntos há 20 anos, Xanddy e Carla Perez agradecem a Deus
+ Tenha paciência!


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo