Leia também:
X Aline Barros viaja para a Suíça para participar de conferência

China inaugura a maior ponte marítima do mundo

A construção vai ligar Hong Kong a Macau e a Zhuhai

Mayara Macedo - 23/10/2018 17h40 | atualizado em 23/10/2018 18h48

Maior ponte marítima é inaugurada na China Foto: EFE

Nesta terça-feira (23), o presidente chinês Xi Jinping inaugurou a maior ponte marítima do mundo. A construção de 55 quilômetros que vai ligar Hong Kong a Macau e a Zhuhai, começará a ser usada na quarta-feira (24).

A obra custou cerca de 20 bilhões de dólares (equivalente a R$73,72 bilhões) e conta com três pontes, túneis subaquáticos e ilhas artificiais. A construção tem estrutura para suportar terremotos e furacões. Antes da ponte, o trajeto que ligava Hong Kong e as outras cidades levava três horas para ser concluído. Com a ponte, o tempo foi reduzido para 30 minutos.

O objetivo da edificação é criar uma Grande Área da Baía, com foco em transformar o lugar em uma zona econômica com ênfase em tecnologia, como no Vale do Silício, Estados Unidos. Os idealizadores do projeto esperam competir com as baías de São Francisco, Nova Iorque e Tóquio.

Ilha artificial que faz parte da obra Foto: EFE

Apesar de ter sido inaugurada, não são todos que poderão atravessar a estrutura. Apenas veículos autorizados com licenças especiais feitas através de um sistema de cotas, e todos deverão pagar um pedágio.

O projeto deveria ter sido entregue em 2016, mas por causa da falta de mão de obra, foi atrasado dois anos. A construção foi alvo de fortes críticas, como na questão de segurança: 18 operários morreram em serviço.

Outro fator reprovado pelos cidadãos chineses foi o alto gasto com a obra. Segundo um parlamentar de Hong Kong, não há possibilidades de recuperar o valor investido. Já as autoridades chinesas afirmam que a ponte vai gerar 10 trilhões de yuans (o equivalente R$ 19,62 trilhões) por ano.

E as avaliações negativas da construção continuam: grupos de ambientalistas alegam que a obra causou danos a vida marinha na área. Um exemplo é o golfinho-branco chinês, que é extremamente raro e sua presença na região tem diminuído drasticamente.

 

Leia também1 Índia constrói maior estátua do mundo, com 182 metros
2 Meghan usa tênis feito em parceria com ONG brasileira
3 Trump critica México de ser "incapaz de deter" imigrantes
4 "No show" em voo de ida não faz cliente perder voo de volta

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.