CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Ana Maria Braga se casa com o noivo Johnny Lucet

Aéreas brasileiras mudam forma de cobrar por bagagens

Empresas agora estão praticando tarifas "dinâmicas" para pertences despachados

Paulo Moura - 10/02/2020 14h57 | atualizado em 10/02/2020 15h02

Empresas têm alterado forma de cobrar por bagagens despachadas Foto: Pixabay

Uma mudança que causa polêmica desde que foi implantada em 2017, a cobrança de bagagens despachadas nas empresas aéreas brasileiras ainda é motivo de muita reclamação por parte dos clientes. As constantes variações nos valores e nos métodos das tarifas cobradas são só alguns dos motivos para muita gente não aprovar a medida.

Recentemente, duas das maiores companhias brasileiras, Latam e Azul, resolveram alterar a forma de cobrar pelas bagagens despachadas e criaram tarifas dinâmicas, que fazem com que o valor dos pertences seja alterado de acordo com diversos quesitos, como a temporada em que o viajante fará o voo, a tarifa, antecedência e a rota. Confira abaixo quais foram as principais alterações.

LATAM

Airbus A320 da Latam Foto: Divulgação

Desde outubro de 2019, a empresa passou a fazer cobrança na chamada “tarifa dinâmica”. Na prática, a medida muda a cobrança fixa que era feita até o fim do ano passado, para um valor variável. A companhia analisa fatores como se a data da viagem será feita em baixa ou alta temporada, em qual tarifa foi paga, qual é a antecedência da compra e qual é a rota.

Atualmente, por exemplo, o preço da primeira peça para trechos nacionais varia entre R$ 35 e R$ 85 para compras em até 48 horas antes do voo, e de R$ 85 a R$ 120 para compras com menos de 48 horas antes da decolagem. Os valores mais detalhados podem ser consultados no site da própria companhia.

AZUL

Aeronave da Azul Linhas Aéreas Foto: Divulgação

A mudança na cobrança da Azul aconteceu no último dia 31 de janeiro, e também seguem a linha “dinâmica” praticada pela Latam, porém a diferença é que os clientes só podem comprar as bagagens despachadas, pela internet, em até seis horas antes da viagem. Em caso de período inferior, a compra deverá ser feita diretamente no aeroporto. No caso da Azul, as informações que constam na site da empresa é de que os valores variam dependendo apenas da rota.

Antes da alteração, a companhia cobrava, em voos nacionais, um valor fixo de R$ 60 antecipadamente e R$ 120 no aeroporto, independente da rota. Com a nova regra, os passageiros poderão pagar, pela primeira bagagem despachada, de R$ 40 a R$ 80 dependendo do trecho. Vale lembrar que o valor é apenas para compras pelo site, aplicativo ou telefone e em até seis horas antes do voo. Caso o intervalo seja menor, o valor permanece fixo em R$ 120.

Para saber quais são os valores a partir da segunda bagagem e como está a cobrança em voos internacionais, os clientes podem acessar a página da Azul.

Leia também1 Gisele Nascimento fala de viagem em família e novo EP
2 Piada com coronavírus obriga avião a retornar ao aeroporto
3 Itália impede desembarque de cruzeiro por coronavírus


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo