Leia também:
X Gabriela Gomes se casa com o goleiro Jordi Martins

Entenda porque mulheres usam preto em visita ao papa

Regra muda para apenas sete mulheres de todo o mundo

Ana Luiza Menezes - 13/12/2019 19h54 | atualizado em 13/12/2019 20h38

A primeira-dama Michelle Bolsonaro e a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, se reuniram na sexta-feira (13) para uma reunião com o papa Francisco. O compromisso foi a principal agenda das duas em visita à Itália.

Além dos assuntos em pauta, como defesa da vida desde a concepção, chamou a atenção o traje usado pelas visitantes brasileiras. Ambas usaram roupas pretas, respeitando uma espécie de código de sobriedade.

A cor deve ser usada pelas mulheres que visitam o papa. Ao acompanhar o presidente Donald Trump, a primeira-dama, Melania Trump, também vestiu um modelo preto e usou um véu da mesma cor. Ivanka Trump também seguiu o código. A visita oficial deles aconteceu em maio de 2017.

– Pelo protocolo do Vaticano, as mulheres que têm um compromisso com o Papa são obrigadas a usar mangas compridas, roupas pretas formais e um véu para cobrir a cabeça – informou a assessora de Melania, Stephanie Grisham, à CNN em um comunicado.

EXCEÇÃO
A regra de vestuário por parte da igreja católica segue um protocolo do Vaticano para visitas de Estado ou audiências com o papa em exercício. Porém, existe uma exceção que contempla sete mulheres.

O chamado “privilégio do branco” (em italiano il privilegio del bianco) vale somente para rainhas e princesas católicas. Mesmo assim, é necessário receber do papa o “Rex Catholicissimus”, um título hereditário. A mulher precisa ainda se manter publicamente católica ou ser casada com um monarca católico. O privilégio pode ser mantido a critério do Papa.

Diante do privilégio, as mulheres que, atualmente, podem visitar o pontífice trajando branco são a princesa Charlene do Mônaco, a rainha emérita Sofia da Espanha, a rainha Letícia da Espanha, a grã-duquesa Maria Teresa de Luxemburgo, a princesa Marina de Nápoles, a rainha consorte Matilde da Bélgica e a rainha Paola da Bélgica.

Em 2014, durante visita formal ao papa Francisco, a rainha Elizabeth II, líder máxima da igreja anglicana, usou um traje lavanda (lilás). A razão não foi explicada. Em encontro com o já falecido papa João Paulo II, no ano 2000, ela usou preto.

SOBRIEDADE
Além de terem que usar preto, as mulheres devem estar com os ombros cobertos, decotes sóbrios e saia na altura dos joelhos. É recomendado ainda o uso de um véu escuro na cabeça.

Devem ser evitadas cores como vermelho, tonalidade que é reservada aos cardeais e, portanto, possuiu significado litúrgico.

Apesar das regras, o Vaticano pode permitir que alguns visitantes usem a roupa típica de seu país.

Leia também1 Michelle Bolsonaro e Damares se reúnem com Papa Francisco
2 Empresa vai lançar a "Netflix do Vaticano", a VatiVision
3 Papa diz que Amazônia precisa do "fogo de Deus"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.