Leia também:
X Cinco lugares no Rio para fazer exercício ao ar livre

Projeto oferece arquitetura sustentável em comunidades

Empresa Favelar pretende acabar com a ideia de que arquiteto é só para quem é rico

Henrique Gimenes - 03/08/2017 15h15 | atualizado em 03/08/2017 17h18

Cobertura do centro esportivo do Santa Marta Foto: Divulgação

Pensando na necessidade de orientar pessoas de baixa renda a construir e reformar suas casas da forma correta, o estudante de engenharia civil e empreendedor, Fábio Moraes, juntamente com a arquiteta Milena Miranda, criaram a Favelar. Uma empresa que apresenta projetos de construção sustentável para moradores de comunidades do Rio de Janeiro.

A ideia inicial era começar com um aplicativo ou plataforma na internet para informar sobre métodos sustentáveis de arquitetura. A falta de algo mais concreto nessa linha fez com que ambos resolvessem expandir a ideia. Segundo Fábio Moraes, a intenção é difundir o conceito de construção sustentável para a população.

– Nosso principal objetivo é democratizar a arquitetura, pensando numa arquitetura social e mais acessível a toda população. Quebrando o paradigma de que contar com um arquiteto é só para quem é rico – afirma.

Os fundadores da Favelar, Fábio Moraes e Milena Miranda Foto: Divulgação

A Favelar se encaixa na categoria de negócio social. Ou seja, empresas que apresentam um modelo autossustentável de negócio, mas não distribuem lucros. Por causa disso, o negócio enfrenta alguns obstáculos. A burocracia e os impostos, além da procura por materiais de construção com certificação ecológica são alguns deles. Oferecer crédito e financiamento para os clientes, que não possuem renda alta, acaba sendo também um dificultador. Outro impedimento é a “cultura da construção por conta própria” que é amplamente difundida. Fábio Marques diz que é preciso fazer as pessoas entenderem a importância dos profissionais de arquitetura e edificações.

– Com o crescente hábito da autoconstrução, as pessoas passaram a ignorar a necessidade desses profissionais, construindo suas casas com as próprias mãos, sem um planejamento, projeto ou assessoria técnica – ressalta.

Nos projetos, a empresa busca as soluções juntamente com o cliente. A intenção é sempre a de transformar o ambiente num local “sustentável” gastando pouco. Fábio afirma que, com a crise pela qual o país passa, as pessoas gastam menos com construções e reformas. E que a Favelar procura parcerias com instituições financeiras que tenham interesse em oferecer crédito para população de baixa renda. Ele ainda contou que, graças a cooperação dentro das comunidades, as pessoas entendem um pouco mais a importância do arquiteto nas reformas de suas casas.

– Queremos nos estabelecer no estado do Rio de Janeiro como um escritório de arquitetura voltado para a população carente – conclui.

Projeto de cozinha de alimentação saudável do Morro Santa Marta Foto: Divulgação

Arquitetura Sustentável

O conceito de arquitetura sustentável se baseia em minimizar os impactos ambientais das construções no meio ambiente e também os causados aos seus habitantes. Os projetos são elaborados buscando o desenvolvimento social e de forma viável financeiramente. As construções são pensadas em questões como o aproveitamento da energia e dos recursos como a água da chuva ou a utilização da luz natural, por exemplo. Esse conceito surgiu nos anos 1970.

Siga-nos nas nossas redes!
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.