Leia também:
X Nasce Antônio Enrico, primeiro filho de Sthefany Brito

Luto: Como crianças lidam com a perda de quem amam

Saiba quais devem ser as abordagens para falar sobre a morte com uma criança

Monique Mello - 02/11/2020 09h00 | atualizado em 03/11/2020 12h03

A compreensão da criança sobre a morte se dá aos poucos Foto: Pixabay

O processo de luto, que é bastante difícil, pode ser ainda mais delicado para as crianças. Como explicar para elas, que desconhecem o significado do conceito de morte, que nunca mais verão alguém? Para a psicóloga Elaine Cruz, é importante que antes de tudo, a criança tenha clareza, justamente, sobre o conceito de vida.

– Temos que dar exemplos de animais, plantas. As crianças de hoje, trancadas em apartamentos, não têm muita oportunidade de conviver com esses outros seres vivos. Se ela participa e vê o nascimento e a morte de um outro ser vivo, é mais fácil que ela entenda que o ser humano também pode morrer – explicou ao Pleno.News.

A FAIXA ETÁRIA É UM FATOR RELEVANTE

Crianças na idade pré-escolar não atingem a concepção do “para sempre” com facilidade.

– A partir dos 5 anos, elas questionam mais. Se for de uma família cristã, podemos afirmar para elas que a pessoa está no céu, mas evitando dizer coisas como “Deus quis para perto dele”. Isso pode levar o pequeno a questionar porque Deus quis deixá-lo sem a pessoa querida. Devemos deixa claro que aqui na Terra ela não encontrará mais a pessoa. – diz a psicóloga.

É importante, inclusive, que elas participem do funeral. Ainda que seja dolorido, passar pelo ritual de despedida auxilia na compreensão do pequeno.

A psicóloga Elaine Cruz explica pontos importantes sobre o luto na infância Foto: Reprodução

NÃO OMITIR A VERDADE
É comum que os adultos escolham afastar a criança do assunto, escondendo detalhes da causa com o uso de eufemismos como “vovô está dormindo”. Elaine esclarece ser necessário que seja explicada a causa da morte, se foi um acidente, uma doença etc.

– A morte tem uma explicação. Sobretudo, se for alguém que morava na mesma casa, alterando drasticamente o cotidiano. As mudanças precisam ser esclarecidas, com as crianças fazendo parte delas. Nós podemos ter perdido o marido, mas ela perdeu o pai, perdemos o pai, mas ela perdeu o avô.

Ainda que seja dolorido, passar pelo ritual de despedida auxilia na compreensão do pequeno

O AUXÍLIO DA FÉ
Assimilar a morte de um ente querido se dá aos poucos, tanto na infância quanto na fase adulta. Para a psicóloga, se a criança puder ter um acompanhamento terapêutico profissional, será importante. No entanto, sem dúvida, aproximá-la de Deus, falar sobre o céu e a possibilidade de nos encontrarmos um dia é fundamental para ela lidar melhor com a questão.

Leia também1 Paz em meio à tempestade
2 Homem desiste de suicídio após lembrar de palavras de cristãos
3 Elaine Martins lança música e videoclipe para as crianças
4 Não chorem...
5 O meu socorro vem do Senhor

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.