CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Em live, Claudia Raia rebate críticas por morte de babá

Adoção de animais dispara na quarentena. Veja os cuidados

Procura por adoção aumentou 50% no Brasil e veterinária dá dicas de cuidados com os bichos de estimação

Camille Dornelles - 01/06/2020 13h32

Veterinária Samantha Lobo detalha cuidados na hora de adotar um animal na quarentena Foto: Reprodução

Após três meses de quarentena e isolamento social, a solidão pode tomar conta de ambientes de pessoas que vivem sozinhas ou que não podem sair de casa nem ter contato com outras pessoas.

Neste momento, mais do que nunca, os animais de estimação se tornam bons companheiros dos seres humanos. A adoção de animais cresceu muito na quarentena, segundo dados da ONG Ampara Animal, a procura por adoção aumentou cerca de 50% no Brasil.

Mas os abrigos e organizações de proteção animal se preocupam com os cuidados que estes animais receberão em seus novos lares.

A procura por adoção aumentou cerca de 50% no Brasil

A médica veterinária Samantha Lobo falou ao Pleno.News sobre adoção de animais na pandemia e explicou o que o novo tutor precisa saber antes de tomar esta decisão.

Quais as vantagens de adotar um animal de estimação neste momento?
As vantagens de adotar um animal de estimação vão além de uma forma de se adquirir uma companhia nas questões da solidão. Além dos benefícios de se ter um amigo pra todas as horas, de carinho, amor e cuidado, animais são extremamente benéficos para saúde mental de qualquer pessoa. Combater a solidão é só mais um desses benefícios. Pra quem se sente sozinho, seria uma excelente opção adotar um animalzinho. Além de companhia, ter um animal traz alegria e esperança.

Veterinária Samantha Lobo afirma que consultas preventivas cresceram Foto: Reprodução

Há também vantagens para os abrigos e lares temporários, certo?
Junto a isso, alguns abrigos poderiam diminuir a quantidade de animais na fila de adoção, “desafogando” esses lares que se encontram lotados de animais que foram abandonados. Sejam eles filhotes, adultos e principalmente os animais idosos que acabam ficando por último na lista de adoções.

Há algum problema em adotar os animais agora que os tutores precisam saber antes?
O único problema disso tudo é que temos que lembrar que animais vivem anos e tem necessidades como todo ser vivo: alimentação de boa qualidade, prevenção de doenças, cuidados veterinários, cuidados com higiene e, obviamente, necessidade de atenção e espaço. É fundamental a escolha de um animal que esteja apto a caber no orçamento familiar e no espaço de convívio. Ter bicho vai muito além de só ter.

Quais os principais e primeiros cuidados que o tutor precisa ter com o novo membro da casa?
Os principais cuidados variam de acordo com espécie, idade e histórico do animal. Aquele animal que foi retirado da rua, deve ser avaliado por um profissional médico veterinário que dará as orientações necessárias. Não difere dos que vieram de abrigo, até porque pelo número alto de abandono, nem todo abrigo consegue dar conta da demanda excessiva de animais.

Para quem cuida de cachorros, como ficam os passeios nas ruas?
A gente tem que ter uma ponderação. Existem animais que são de médio e grande porte e que ficam enclausurados em ambientes pequenos, apartamentos, que não fazem as necessidades dentro de casa… Esses precisam sim passear. Obviamente que a pessoa deve usar máscara e pode passar um álcool nas patas do animal na volta. Lembrando que os animais não são portadores e nem transmissores da Covid-19.

Aproveitando que você falou sobre álcool nas patas, quais os cuidados com animais e com produtos de limpeza?
O que acontece é que, como eles ficam muito presos e as pessoas estão usando mais produtos de limpeza por medo do novo coronavírus, os animais acabam desenvolvendo mais dermatopatias (doenças de pele). Às vezes, por estresse e ansiedade começam a lamber as patas. Os animais sentem o estresse do ser humano e, às vezes, adquirem o comportamento parecido com o do seu tutor e, consequentemente ficam mais estressados.

Veterinária Samantha Lobo fala de cuidados com cães e gatos na quarentena Foto: Reprodução

Os gatos são mais caseiros, não costumam sair. Mas há algum cuidado especial com eles neste momento?
Nos gatinhos, estão aumentando os casos de dermatopatia, obesidade e estresse. Gatos gostam de rotina. Essa mudança do comportamento do lar e com as pessoas muito tempo dentro de casa, os gatos ficam agitados e estressados. Brincar é fundamental para a saúde mental deles.

Como veterinária, você tem sofrido com a diminuição dos atendimentos?
Por incrível que pareça, eu tenho feito mais consultas preventivas, mais vacinas… Como as pessoas estão mais tempo em casa com os bichinhos, estão se dedicando mais a eles e prestando mais atenção.

As veterinárias estão funcionando normalmente?
Procurar auxílio veterinário é fundamental para conhecer a clínica desse animal, entender as formas de cuidado e, principalmente, entender como a medicina preventiva é importante para a longevidade do animal. Veterinárias estão funcionando normalmente, algumas com horários reduzidos, mas com hora marcada para que não ocorram aglomerações nas clínicas.

Leia também1 Mais um cão é resgatado em São Paulo após rinha
2 Prefeitura de Santos proíbe venda de animais domésticos
3 Cães ajudam mulheres que sofreram violência doméstica
4 Cães abandonados ganham currículo para adoção
5 Gato gordinho colocado para adoção conquista a internet

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo