Leia também:
X Bolsonaro trabalhará do hospital e não passará cargo a Mourão, diz site

Vice do CFM defende vacinação infantil sem prescrição

Donizetti Giamberardino diz que o mecanismo pode dificultar a imunização dos pequenos

Gabriela Doria - 04/01/2022 16h01 | atualizado em 04/01/2022 16h08

Vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, Donizetti Giamberardino Foto: Divulgação

O 1º vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, Donizetti Dimer Giamberardino Filho, afirmou nesta terça-feira (4), na audiência pública sobre a vacinação de crianças contra a Covid-19, que a receita médica não deve ser uma condição para permitir que os mais novos sejam imunizados.

– A decisão de vacinação é uma decisão coletiva – disse o médico no evento promovido pelo Ministério da Saúde.

Ele ainda apontou que é possível que os médicos façam restrições individuais à vacinação infantil, mas que a exigência pode dificultar o acesso ao imunizante.

– Cabe ao médico, sim, fazer atestados de priorização, como consta. E atestados de contraindicação. Mas entendemos que a prescrição médica pode se tornar uma forma de restrição de acesso a um país de tanta dificuldade desse acesso – acrescentou.

Leia também1 Anvisa recusou ida à audiência sobre vacinação de crianças
2 Governo define prioridades na vacinação infantil contra Covid
3 Em consulta, maioria é contra vacinação infantil obrigatória
4 Mulher é presa após vacinar adolescente sem aval dos pais
5 Deputado nega vacinar os filhos: 'Só por cima do meu cadáver'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.