Leia também:
X Câmara e AGU entram contra suspensão da MP da Eletrobras

Veja quem não pode tomar a vacina contra a febre amarela

Embora seja a maneira mais eficaz de prevenção, imunização não é para todos

Gabriela Doria - 15/01/2018 17h53 | atualizado em 16/01/2018 10h25

Vacina não pode ser administrada em todas as pessoas Foto: Agência Brasília/Andre Borges

Os recentes casos de febre amarela acenderam um alerta na população e nas autoridades governamentais, que estão fornecendo vacinas para os locais onde há maior risco. Apesar de ser a forma mais eficaz de prevenir a doença, a imunização via vacina não pode ser feita em toda a população, por causa de possíveis reações adversas. Portanto, antes de ir ao posto de saúde em busca da dose antiviral, saiba se você está dentro do grupo de risco.

Pessoas que fazem uso de remédios imunossupressores
Este é o grupo de maior risco, pois se tratam de pacientes cujo sistema imunológico é frágil. Seja pelo uso de remédios que diminuem a imunidade ou por doenças que comprometem às defesas do corpo. Tratamentos com remédios quimioterápicos ou à base de corticoide são exemplos de imunodepressores.

Gestantes
Mulheres que estejam em período de gestação estão proibidas de tomarem a vacina. De acordo com o Ministério da Saúde, o vírus da vacina pode causar danos neurológicos severos nos bebês.

Alergia severa ao ovo
Por ser cultivada em ovos embrionados de galinha, a vacina contra a febre amarela contém grandes quantidades da proteína do ovo. Pessoas com essa alergia vão apresentar reações adversas à imunização. No entanto, em situações em que o paciente alérgico esteja sob grande exposição ao vírus, recomenda-se que sejam realizados testes cutâneos com a vacina. Se o exame der negativo, é possível administrar a dose, com acompanhamento médico seguido de observação durante 30 minutos. Caso haja reação após o teste, deve-se discutir a possibilidade de fracionamento da dosagem ou mesmo o preparo de um ambiente hospitalar para uma possível anafilaxia (reação alérgica grave que pode ser fatal).

Bebês com menos de seis meses
A exposição de crianças menores de seis meses ao vírus da vacina pode causar danos severos ao sistema neurológico do bebê. A vacina também está suspensa para mães que estejam amamentando recém-nascidos até essa idade. A imunização dessas mães só é recomendada em casos de extrema necessidade, uma vez que é preciso ficar 10 dias após a dose sem amamentar o bebê. Nesses casos, é imprescindível ter o aval de um médico especializado.

Leia também1 RJ: Morre jovem que fez campanha para receber fígado
2 RJ confirma primeira morte por febre amarela este ano
3 Vacina contra Febre amarela será fracionada na BA, RJ e SP

Siga-nos nas nossas redes!
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.