Leia também:
X Covardia: Morador de rua é queimado enquanto dormia

Vacinação de brasileiros deve começar no início de 2021

Previsão é do Ministério da Saúde

Gabriela Doria - 01/09/2020 08h31 | atualizado em 01/09/2020 08h32

Brasil deve começar imunização da Covid-19 no início do ano que vem Foto: Agência Brasil/Acácio Pinheiro

O Ministério da Saúde estima que a vacina contra a Covid-19 começará a ser distribuída para a população no início do ano que vem. No entanto, a data só será possível se o antídoto for comprovadamente eficaz. A estimativa foi feita após reunião do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, com a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (31).

– A Fiocruz está mobilizando todos os seus recursos tecnológicos e industriais em prol do acesso da população à vacina no menor tempo possível. Estamos conversando com a Anvisa e parceiros tecnológicos com o intuito de reduzir os prazos de produção, registro e distribuição da vacina – disse a presidente da Fiocruz

A previsão é de que, inicialmente, seja possível produzir cerca de 100 milhões de doses com os insumos que serão importados. A produção de maneira integral e independente deve começar em abril pela unidade técnico-científica Bio-Manguinhos.

A Fiocruz anunciou em 27 de junho um acordo com o governo britânico para a produção da vacina desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford. O governo brasileiro destinou um crédito de R$ 1,9 bilhão para a produção e aquisição das doses.

Leia também1 Brasil tem queda de 12% nas mortes por Covid em agosto
2 Jair Bolsonaro: "Ninguém é obrigado a tomar vacina"
3 SP: Covid é mais fatal com funcionários do que presos
4 Doria: SP terá quarentena até chegada da vacina da Covid-19
5 Covid-19: Rússia anuncia 1° lote de vacina para setembro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.