Leia também:
X Lula sobre militares: “Não se comportavam assim conosco”

SP: Nunes vetará trecho de lei que cita ideologia de gênero em escolas

Projeto de lei abre margem para ensino da identidade de gênero

Pleno.News - 11/07/2021 16h08 | atualizado em 11/07/2021 16h10

Prefeito de SP Ricardo Nunes se comprometeu a vetar trecho Foto: Reprodução

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), garantiu que irá vetar um trecho de um projeto de lei do vereador Eduardo Suplicy (PT) que abre margem para o ensino da ‘identidade’ de gênero nas escolas públicas municipais.

Após pressão de parlamentares e setores conservadores, Nunes se reuniu com um grupo de vereadores da bancada cristã contrários ao texto. Ele se comprometeu a vetar o texto. Em um vídeo da reunião, que aconteceu na última quarta (7), Nunes afirma: “Nas escolas municipais, nós teremos o que tem que ser feito como está no plano de educação, que é ensinar as crianças a parte didática, pedagógica que lá está”.

O projeto foi aprovado na Câmara no dia 23 de junho com 39 votos favoráveis, incluindo de membros da bancada cristã, e 16 votos contrários.

Inicialmente voltado para a implementação do Marco Regulatório Municipal da Economia Solidária, o Projeto de Lei 197/2018 foi aprovado na sua primeira votação na Câmara. No entanto, uma alteração no texto, chamado também de texto substitutivo, incluído de última hora no documento, prevê como ação da lei a “garantia de direitos e promoção dos direitos humanos nas relações, notadamente com equidade de direitos de gênero, geração, raça, etnia, orientação sexual e identidade de gênero”.

Ainda segundo o projeto, “os estabelecimentos de ensino da Rede Municipal de Educação deverão abordar, de forma interdisciplinar, o conteúdo e os princípios da Economia Solidária”.

O vereador Rinaldi Digilio (PSL), autor do projeto de lei que institui a Semana Escolhi Esperar, que trata da conscientização e prevenção da gravidez precoce, votou contrário ao marco regulatório de Suplicy.

– Eu votei contrário a esse absurdo, mas tenho certeza [de] que muitos nem perceberam. Esse projeto abre brecha para que a ideologia de gênero enfim entre nas escolas municipais, depois de uma longa batalha travada para evitar que isso aconteça – disse Digilio.

Leia também1 Vereador recebe ataques por ser contrário à ideologia de gênero
2 PT aciona STF contra decreto que veta uso de gênero neutro em SC
3 Malafaia questiona: 'Liberdade de expressão é só para o ativismo gay?'
4 Vereador acusado de transfobia diz que denúncia é 'ideológica'
5 EUA terão "terceiro gênero" no passaporte para não binários

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.