Leia também:
X ‘Linguagem neutra estimula a molecada a se interessar por essa coisa’, diz Bolsonaro

Sinovac vai criar “2ª versão” da CoronaVac contra a Ômicron

Novo imunizante deverá ficar pronto em três meses

Pleno.News - 07/12/2021 14h47 | atualizado em 07/12/2021 15h26

CoronaVac Foto: Divulgação/Instituto Butantan

A farmacêutica chinesa Sinovac anunciou, nesta terça-feira (7), que trabalha para desenvolver uma versão da vacina CoronaVac contra a Covid-19 para combater a variante Ômicron, identificada pela primeira vez na África do Sul. A expectativa é de que a atualização do imunizante fique pronta em três meses.

As declarações foram feitas durante um simpósio realizado pelo Instituto Butantan, parceiro da Sinovac na produção do imunizante. O presidente da Sinovac, Weidong Yin, disse que a vacina vem se mostrando eficaz no combate à nova cepa, mas ressalta que a Ômicron causa preocupação.

– A vacina tem se provado eficaz contra essa variante, e estamos desenvolvendo um novo imunizante com base na variante – anunciou.

– Esperamos ainda mais colaboração com o Butantan para o desenvolvimento rápido de novas vacinas para as novas variantes, imunossuprimidos ou vacinas de reforço, e temos certeza [de] que, com essa parceria, seremos capazes de enfrentar a Covid 19 – completou.

A tecnologia da CoronaVac é a de vírus inativado. As vacinas que utilizam essa tecnologia são criadas com base no vírus inteiro na sua composição, enquanto os imunizantes de outras tecnologias utilizam apenas a proteína spike, considerada “a chave do vírus” para entrar no corpo humano.

De acordo com o diretor do Butantan, Dimas Covas, o instituto e a Sinovac continuam criando novas vacinas, não só a “segunda geração” da CoronaVac.

– Vamos anunciar estudos com alcance de variantes – afirmou.

Segundo a vice-presidente da Sinovac, Yaling Hu, o primeiro passo para fazer a adaptação do imunizante é isolar a nova cepa do vírus e fazer um teste de anticorpos neutralizes. Depois, serão feitas avaliações e estudos clínicos em diferentes faixas etárias.

*AE

Leia também1 Para epidemiologista, Ômicron pode ser um 'presente de Natal'
2 OMS: Vacinação obrigatória deve ser "último recurso absoluto"
3 Bebê que foi vacinada contra a Covid por engano tem convulsão
4 Pastor é preso por dizer que orações podem curar a Covid-19
5 STF dá 48h para governo explicar por que não exige passaporte de vacinação

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.