Leia também:
X Abraham Weintraub compara ação da PF ao nazismo

Sara Winter xinga Moraes e promete ‘infernizá-lo até sair’

Ativista é um dos alvos da Polícia Federal no inquérito das fake news

Pleno.News - 27/05/2020 17h27 | atualizado em 27/05/2020 18h37

Sara Winter xinga Moraes e o chama para “trocar socos” Foto: Reprodução

Alvo da operação desta quarta-feira (27) no chamado inquérito das fake news do Supremo Tribunal Federal (STF), a ativista Sara Winter xingou com palavrões o ministro Alexandre de Moraes, ao reagir à ação da Polícia Federal que apreendeu seu celular e seu computador.

Moraes incluiu Sara, que lidera o acampamento criado em Brasília para formar militantes bolsonaristas, entre os alvos dos mandados. A ativista, cujo verdadeiro nome é Sara Fernanda Giromini, fundou o Femen Brasil, grupo famoso por protestar de topless, e depois se converteu ao conservadorismo.

– Juro por Deus, essa era minha vontade. Eu queria trocar soco com esse filho da p* desse arrombado. Infelizmente, não posso – disse Sara sobre Moraes em vídeo nas redes sociais, afirmando que não será calada pela investigação conduzida pelo ministro.

Ela disse ainda que iria à casa do ministro se ele morasse em Brasília.

– Pena que ele [ministro] mora em São Paulo. Se ele estivesse aqui, eu estava lá na porta da casa dele, convidando ele para trocar soco comigo – afirmou.

Na postagem, a ativista fala ainda que Moraes nunca mais encontrará paz na vida, depois de ter tomado o que ela classificou como “a pior decisão da vida” do magistrado.

– Você me aguarde, Alexandre de Moraes. O senhor nunca mais vai ter paz na vida do senhor. A gente vai infernizar a tua vida – prometeu.

A bolsonarista completa.

– A gente vai descobrir os lugares que o senhor frequenta. A gente vai descobrir quem são as empregadas domésticas que trabalham para o senhor. A gente vai descobrir tudo da sua vida, até o senhor pedir para sair – ameaçou.

Pela manhã, logo após ser alvo da operação, ela já havia criticado a medida.

– A Polícia Federal acaba de sair da minha casa. Bateram aqui às 6h da manhã, a mando do Alexandre de Moraes. Levaram meu celular e notebook. Estou praticamente incomunicável! Moraes, seu covarde, você não vai me calar! Meus advogados já chegaram, vamos pra cima! O Brasil não será uma ditadura. Hoje, Alexandre de Moraes comprovou que está a serviço de uma ditadura do Judiciário – afirmou.

Outros investigados no inquérito do STF também se voltaram contra Alexandre de Moraes, com xingamentos e ameaças ao magistrado, depois que receberam os agentes da PF.

Foram alvos de mandados de busca e apreensão militantes, blogueiros, youtubers, políticos bolsonaristas e assessores. A maior parte tem forte atuação nas redes sociais e publica críticas a ministros do STF e integrantes de outras instituições.

O inquérito também mira possíveis financiadores dessas atividades. Segundo investigadores, esse é considerado um dos pontos-chave do funcionamento dessa rede.

*Folhapress

Leia também1 Abraham Weintraub compara ação da PF ao nazismo
2 Moro "celebra" ação do STF em inquérito das Fake News
3 Internet se une em grande ato e denuncia a #CensuraDoSTF
4 Deputado Gil Diniz vai pedir impeachment de Moraes
5 Ministro da Justiça defende direito de criticar autoridades

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.