Leia também:
X Policial civil morto no Rio pode receber maior honraria da Alerj

Roraima: Garimpeiros atiram contra equipe da Polícia Federal

PF investigava ataque ocorrido na Terra Indígena Yanomami

Pleno.News - 12/05/2021 14h27 | atualizado em 12/05/2021 15h00

Policiais federais foram atacados por garimpeiros em comunidade indígena Foto: Reprodução/Polícia Federal

Garimpeiros a bordo de uma embarcação fizeram disparos de armas de fogo contra a equipe de policiais federais que estava na Comunidade Palimiú, dentro da Terra Indígena (TI) Yanomami em Roraima.

Os policiais estavam no local apurando o ataque ocorrido na manhã de segunda-feira (10), também por garimpeiros em uma embarcação, conforme denúncia realizada pelos Yanomami.

Segundo informações da Polícia Federal, após a apuração, quando a equipe de policiais federais estava prestes a embarcar de volta a Boa Vista, garimpeiros passaram em uma embarcação no rio Uraricoera efetuando os disparos. A equipe se abrigou e respondeu à agressão, mas não houve registro de atingidos de nenhum dos lados.

De acordo com informações da Associação Yanomami Hutukara, o ataque de garimpeiros com armas de fogo contra a comunidade deixou ao menos cinco pessoas feridas, sendo quatro garimpeiros e um indígena. Ainda de acordo com a associação, os servidores do posto de saúde do território da comunidade Palimiú, local do ataque, foram removidos na própria segunda-feira.

O Ministério da Saúde confirmou que os profissionais da Equipe Multidisciplinar de Saúde Indígena no Polo Base da Comunidade Palimiú estavam sendo retirados do local e que a unidade de atendimento será reaberta tão logo seja possível atuar em segurança.

Após o retorno da equipe de policiais, a PF informou que não foram encontrados corpos de garimpeiros mortos no local. A corporação apurou que um indígena foi atingido de raspão, sem gravidade.

A ida até a Comunidade Palimiú foi inviabilizada pelas condições climáticas, segundo a PF. No entanto, na segunda-feira (10), um garimpeiro detido pelos indígenas foi levado pela Fundação Nacional do Índio (Funai) para a Superintendência da Polícia Federal para ser ouvido. Em seguida, ele foi liberado.

Segundo a PF, o garimpeiro informou que estava subindo o rio Uraricoera com destino ao garimpo quando foi abordado por indígenas. Em seguida, outra embarcação apareceu – com não indígenas a bordo –, que começaram a atirar. Indígenas recolheram cápsulas de munição, dentre elas balas de calibres 20mm, 380mm e 9mm, que teriam sido utilizadas no conflito e entregaram o material a funcionários da Funai.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também1 PF pede ao STF abertura de inquérito contra Dias Toffoli
2 Policial civil morto no Rio pode receber maior honraria da Alerj
3 'Começaram as dores de parto do Messias', diz rabino sobre Israel
4 Assassino de creche em SC tem alta médica e vai para presídio
5 EUA: Homem que matou 8 em spas enfrentará pena de morte

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.