R$ 195 milhões de Cabral e do grupo de Eike são bloqueados

Objetivo da liminar era evitar que os réus se desfizessem de bens

Pleno.News - 15/05/2019 11h39

Ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral Foto: Reprodução

A Justiça do Rio de Janeiro determinou o bloqueio imediato de R$ 195 milhões do ex-governador Sérgio Cabral, da ex-primeira-dama Adriana Ancelmo e do Grupo EBX, de Eike Batista.

O objetivo da liminar, deferida pela juíza Aline Maria Gomes Massoni da Costa, da 4ª Vara de Fazenda Pública Estadual, era evitar que os réus se desfizessem de bens e garantir a devolução de recursos. Após o deferimento, a Procuradoria Geral do Estado (PGE-RJ) entrou com ação de improbidade administrativa.

No entendimento da PGE, o montante corresponde ao triplo do valor que teria sido pago em dois esquemas de corrupção, conforme apurado pelo Ministério Público Federal, na Operação Lava Jato.

O decreto que determina a indisponibilidade dos bens diz:

  1. Sérgio Cabral, Eike Batista, Flavio Godinho, Wilson Carlos e a Centennial Asset Mining Fund Llc Holding: R$ 192.640.318,20, relacionados ao pagamento, entre 2011 e 2013, de 16,5 milhões de dólares (cerca de R$ 63 milhões) em uma conta no Uruguai por contrato fictício de intermediação na aquisição de uma mina entre a Centennial – que integrava o Grupo X – e a Arcadia, uma offshore de fachada atribuída a Cabral.
  2. Sérgio Cabral, Adriana Ancelmo, Eike Batista, Flavio Godinho e EBX Holding LTDA: R$ 3 milhões, vinculados a contrato fictício celebrado entre o conglomerado de Eike e o escritório de advocacia de Adriana Anselmo, no valor de R$ 1 milhão.

LEIA TAMBÉM+ Ciro Gomes diz que Lula é um "enganador profissional"
+ STJ julga queixa-crime movida pelo ex-deputado Jean Wyllys
+ David Miranda, do PSOL, ataca Fernando Holiday na internet


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo