“Querem me afastar dos amigos judeus”, diz Bolsonaro

Presidente enviou carta de desculpas à embaixada israelense no Brasil

Pleno.News - 14/04/2019 15h20

Jair Bolsonaro enviou carta à embaixada israelense no Brasil Foto: EFE/Menahem Kahana

Diante da polêmica criada com sua declaração sobre o Holocausto, o presidente Jair Bolsonaro enviou uma carta à embaixada israelense no Brasil na tentativa de se explicar. Durante almoço com pastores no Rio de Janeiro, Bolsonaro disse que poderia perdoar os responsáveis pelos crimes contra os judeus.

A fala do presidente revoltou o presidente Reuven Rivli e os responsáveis pelo Museu Yad Vashem de Israel, onde fica um Memorial do Holocausto. Pelo Twitter, Rivli disse que os israelenses nunca vão perdoar ou esquecer as atrocidades cometidas contra seus antepassados.

– Ao povo de Israel: deixei escrito no livro de visitantes do Memorial do Holocausto em Jerusalém: “Aquele que não esquece seu passado está condenado a não ter futuro. Portanto, qualquer outra interpretação só interessa a quem quer me afastar dos amigos judeus. Já o perdão, é algo pessoal, nunca num contexto histórico como no caso do Holocausto, onde milhões de inocentes foram mortos num cruel genocídio – diz a mensagem.

Em defesa a Bolsonaro, o embaixador israelense no Brasil, Yossi Shelley, disse que a fala do presidente não “mostrou desrespeito ou indiferença pelo sofrimento judeu”. Shelley foi o principal articulador da viagem da comissão do Brasil a Israel, no início de abril.

LEIA TAMBÉM+ Presidente de Israel critica fala de Jair Bolsonaro
+ Hamas ataca Flávio Bolsonaro: "Filho de extremista"
+ Bolsonaro diz não ter "dúvida" de que nazismo é de esquerda


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo