Leia também:
X RJ: MPF pede dados de operações policiais realizadas na pandemia

Queiroga defende Libertadores com testagem em massa

Ministro disse que é possível retornar às atividades

Pierre Borges - 19/07/2021 15h07 | atualizado em 19/07/2021 16h17

marcelo_queiroga_volta_as_aulas
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga Foto: Reprodução | Ministério da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defendeu a disputa entre Flamengo e Defensa Y Justicia pela copa Libertadores da América, em Brasília, na próxima quarta-feira (21). Ele disse ser necessário, porém, que fossem seguidos os rigorosos protocolos para minimizar os riscos de contágio pela Covid-19.

– Com os protocolos, o risco minimiza. Temos um ambiente epidemiológico mais tranquilo no país. Não conversei com o doutor Osnei Okumoto (secretário de Saúde do Distrito Federal) acerca dessa decisão, mas, desde que sigamos protocolos rigorosos, é possível retornar às atividades – disse o ministro da Saúde.

Queiroga foi ainda mais específico quando perguntado sobre qual seria este protocolo. Ele defendeu a testagem em massa dos torcedores, “não como uma forma de disciplinar o ir e vir, mas como uma forma de a gente avançar”.

Na última semana, o governo do DF permitiu que a partida fosse realizada com público; entretanto, só poderão entrar no estádio os torcedores que apresentarem teste PCR negativo ou comprovante de vacinação com as duas doses de imunizante anticovid, ou com o imunizante de dose única (Jansen). O evento também será limitado a 25% da capacidade de público, isto é, cerca de 17.500 mil pessoas.

Leia também1 RJ: MPF pede dados de operações policiais realizadas na pandemia
2 Globo demite cinegrafista que assediou produtoras em Tóquio
3 Boris quer obrigatoriedade de vacinação para grandes eventos
4 OMS: Variante Delta da Covid-19 circula em mais de 111 países
5 Advogados abandonam defesa de Eike Batista após calote

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.