Presidente de Israel critica fala de Jair Bolsonaro

Em reunião com pastores, Bolsonaro disse que é possível perdoar o Holocausto

Pleno.News - 14/04/2019 08h53

Presidente de Israel rebateu as declarações de Bolsonaro Arte: Pleno.News

A declaração do presidente Jair Bolsonaro acerca de Israel e do Holocausto, feita durante um almoço com líderes evangélicos no Rio de Janeiro, não repercutiu bem entre o presidente Reuven Rivli e os responsáveis pelo Museu Yad Vashem de Israel, onde fica um memorial aos judeus mortos por Hitler.

Em sua declaração, Bolsonaro lembrou que visitou o Museu do Holocausto e que “nós podemos perdoar, mas não podemos esquecer”. Segundo o presidente, “quem esquece seu passado está condenado a não ter futuro”.

No sábado (13), o museu se pronunciou ao jornal israelense Haaretz afirmando que “desde a sua criação, tem trabalhado para manter a lembrança do Holocausto viva e relevante para o povo judeu e a toda humanidade”. A instituição completou que “não é direito de nenhuma pessoa determinar se crimes hediondos do Holocausto podem ser perdoados”.

Através do Twitter, o presidente israelense Reuven Rivli rebateu a declaração de Jair Bolsonaro dizendo que o povo de Israel nunca irá perdoar ou esquecer o que ocorreu com seus antepassados.

– Nós sempre nos oporemos àqueles que negam a verdade ou àqueles que desejam eliminar nossa memória. Nós nunca vamos perdoar e nunca esquecer. Os líderes políticos são responsáveis por moldar o futuro. Historiadores descrevem o passado e pesquisam o que aconteceu. Ninguém deve entrar no território do outro.

Presidente de Israel tuitou sobre declaração de Bolsonaro Foto: Reprodução
Presidente de Israel tuitou sobre declaração de Bolsonaro Foto: Reprodução

LEIA TAMBÉM+ Janaina dispara: 'O PSL está cada vez mais parecido com o PT'
+ "Bolsonaro é perigoso", diz prefeito de Nova Iorque
+ Bolsonaro sobre 80 tiros no RJ: 'Exército não matou ninguém'


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo