Leia também:
X Boulos discorda de ‘escolha’ de Lula para a presidência em 2022

Prefeito do PT chama Bolsonaro de autista: ‘Não tem sentimento’

Luiz Antônio da Silva foi alvo de repúdio da comunidade que defende pessoas com autismo

Pleno.News - 06/02/2021 16h30 | atualizado em 07/02/2021 14h09

Prefeito de Alfenas, Luiz Antônio Silva (PT) Foto: Reprodução

Uma declaração do prefeito de Alfenas, no Sul de Minas Gerais, Luiz Antônio da Silva (PT), gerou reações da comunidade autista e de pessoas e instituições que defendem os direitos da população com deficiência. Em participação ao vivo no programa de rádio ‘Conversa com o Prefeito’, transmitido pela Pinheirinho FM (88,3), Silva chamou Bolsonaro de “autista” porque, segundo ele, “autistas não têm sentimentos”.

– Bolsonaro é um psicopata, um autista, porque autistas não têm sentimentos, olham para uma pessoa que está sofrendo e não sentem nada – disse Silva, no dia 23 de janeiro. O trecho está compartilhado no YouTube.

A declaração foi alvo de repúdio de defensores da pessoas com autismo. Berenice Piana, co-autora da Lei n° 12.764/2012, que instituiu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista.

– Sugiro ao prefeito que fez tão infeliz declaração sobre autismo, ofendendo gravemente todos os autistas com os absurdos citados na entrevista, que procure uma família com filho autista para ver de perto quanto amor eles conseguem espalhar. Todos são contagiados com sua presença e por mais severo ou profundo que seja, sempre conseguem despertar amor – afirmou Berenice Piana, co-autora da Lei n° 12.764/2012, que instituiu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista.

Berenice também considerou a declaração como uma “absurda agressão”.

– Digo ainda, como mãe, ativista, conselheira de honra da Reunida (Rede Unificada Nacional e Internacional pelos Direitos dos Autistas), que é imperioso calar quando não se conhece o assunto. Ao adentrar um lar onde o autismo fez morada, vai entender que não se trata de ‘falta de sentimentos’, mas sim de sentimentos intensos que nem sempre conseguem ser expressados e, menos ainda, entendidos por prefeitos que os rotulam de ‘psicopatas’, sem a menor noção da absurda agressão a toda uma classe de indivíduos – destacou Berenice Piana.

Após a repercussão, Silva divulgou um vídeo em que pede desculpas pela “infeliz e equivocada comparação”.

MINISTÉRIO DOS DIREITOS HUMANOS SE MANIFESTA
O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), do qual faz parte a Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNDPD), informou em nota publicada na madrugada deste sábado, 6, que vai encaminhar o caso às autoridades competentes. “Será apurado com todo o rigor da lei que protege as pessoas com deficiência no Brasil”, diz a pasta, que cita o artigo 88 da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (n° 13.146/2015).

“Praticar, induzir ou incitar discriminação de pessoa em razão de sua deficiência: Pena – reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa. § 2º Se qualquer dos crimes previstos no caput deste artigo é cometido por intermédio de meios de comunicação social ou de publicação de qualquer natureza: Pena – reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa”, estabelece a LBI.

*Estadão

Leia também1 Boulos discorda de 'escolha' de Lula para a presidência em 2022
2 SP: STJ solta vereador acusado de integrar organização criminosa
3 Gilmar sugere que o judiciário também governa o país
4 Justiça determina que Google esclareça 'censura' ao Terça Livre
5 Covid: Deputado propõe lei que obriga divulgação de vacinados

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.