Leia também:
X Fachin proíbe governo federal de divulgar o alistamento militar

Youtuber diz ter exagerado ao xingar o presidente Bolsonaro

Wilker Leão protagonizou confusão envolvendo o presidente Jair Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada

Paulo Moura - 19/08/2022 15h27 | atualizado em 19/08/2022 15h50

Em um vídeo publicado nos stories de seu perfil no Instagram nesta quinta-feira (18), o youtuber Wilker Leão, que protagonizou uma confusão com o presidente Jair Bolsonaro (PL) na saída do Palácio da Alvorada, disse que exagerou ao xingar o chefe do Executivo de “vagabundo” e “safado”, mas que não recua sobre ter chamado o líder de “tchutchuca do Centrão”.

– Todo mundo viu o recorte do “tchutchuca do Centrão”, eu não retiro, de fato ele [Bolsonaro] é isso (…). Ali, o vagabundo e safado talvez eu tenha dado uma exagerada um pouco, mas falar o quê do pessoal que me joga no chão por eu fazer perguntas? – disse.

SOBRE A CONFUSÃO
O alvoroço envolveu o presidente após Wilker provocar o líder do País na saída do Palácio da Alvorada nesta quinta. No momento em que Bolsonaro tirava fotos com seus simpatizantes na saída da residência oficial, o youtuber, que gravava tudo com um celular, começou a fazer perguntas e provocações ao chefe do Executivo, quando foi puxado por uma pessoa e caiu no chão.

Ele então passou a xingar Bolsonaro de “vagabundo”, “safado”, “covarde” e “tchutchuca do Centrão”. Na sequência, o presidente entrou no carro oficial para seguir para sua agenda de campanha eleitoral, mas, com a aumento dos xingamentos, saiu do veículo e foi em direção a Leão.

Ao se aproximar, o presidente disse que queria falar com ele, mas acabou esticando o braço na direção do celular do influenciador, que se esquivou e foi logo contido por seguranças.

Após a confusão, Bolsonaro parou para conversar por cerca de 5 minutos com Leão. Entre os temas, os dois falaram sobre mudanças nas regras de delação premiada, as emendas de relator, reforma tributária, posse de armas e aliança com partidos do Centrão. Sobre o último assunto, Bolsonaro destacou que precisa do Parlamento para aprovar as pautas propostas por seu governo.

– Eu preciso aprovar as coisas no Parlamento, certo? Se for para aprovar sozinho, eu sou ditador. Fecha tudo, fecha Supremo, fecha Congresso, fecha tudo e eu resolvo as coisas sozinho. Eu tenho que ter o apoio do Parlamento. Os partidos de centro são quase 300 dos 513 parlamentares. Como vou aprovar um projeto simples de lei dispensando 300 votos? – explicou.

Ainda ao ser questionado por Leão sobre a aproximação com partidos do Centrão, Bolsonaro respondeu que “todo partido tem pessoas que devem alguma coisa” e perguntou ao youtuber se ele achava que o PT não teria. O influenciador respondeu então que achava o PT “um partido de vagabundo”. Ao final, Bolsonaro disse que não há como “ser um presidente 100%”.

– Eu não posso ser um presidente 100%. Vai desagradar um ou outro em alguma coisa, vai desagradar – completou Bolsonaro.

Leia também1 Youtuber que provocou Jair Bolsonaro queria ser candidato
2 Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio
3 Felipe Neto nega acusações feitas por ex-namorada
4 Público se divide entre apoio e vaias a Monteiro na Câmara
5 Wilker Leão: Saiba quem é o homem que provocou Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.