Leia também:
X Torres: Minuta pedia quebra de sigilo dos ministros do TSE

Vigilante do STF é um dos presos por ações extremistas no DF

Josenaldo Alves foi demitido no mesmo dia e será submetido ao devido processo legal

Marcos Melo - 13/01/2023 18h18 | atualizado em 13/01/2023 18h27

Josenaldo Alves Foto: Reprodução / Redes Sociais

Um vigilante terceirizado que trabalha no Supremo Tribunal Federal (STF) está na relação dos presos que participaram das manifestações radicais, no último domingo (8), quando prédios dos Três Poderes foram depredados.

Josenaldo Batista Alves, de 48 anos, foi demitido no mesmo dia das manifestações e seu nome consta na lista de presos divulgada pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape-DF).

Sua empregadora é a empresa Zepim Segurança e Vigilância, responsável pela prestação de serviços em vários órgãos públicos.

Em nota, o STF declarou não ter conhecimento de qualquer participação de Josenaldo nas ações extremistas dentro do Tribunal. Investigações responderão se o funcionário repassou informações privilegiadas que tenham facilitado a depredação e fragilizado a segurança da Corte.

A Zepim Segurança e Vigilância foi notificada pelo episódio e seu empregado será submetido ao devido processo legal.

LEIA NOTA DO STF
Um vigilante terceirizado do STF foi detido no último domingo (8) em razão dos atos de vandalismo. No entanto, o STF ainda não tem informações sobre se ele participou de ações dentro do tribunal.

A empresa terceirizada foi notificada do ocorrido, e o STF apura se o vigilante repassou informações sensíveis que possam ter fragilizado a segurança. As investigações estão em andamento, e ele responderá por seus atos conforme o devido processo legal.

Leia também1 Manifestantes presas precisam de doações de roupas íntimas
2 Ibaneis presta depoimento na sede da Polícia Federal no DF
3 Senador diz que tentou avisar Dino 3 dias antes dos atos no DF
4 Juiz bloqueia R$ 6,5 milhões de envolvidos em protestos no DF
5 Lula: "Forças Armadas não são poder moderador como acham"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.