Leia também:
X Consórcio do NE adquire 37 milhões de doses da Sputnik V

Vídeo: Ânimos exaltados em reunião da CCJ, com gritos de “genocida” e “vagabundo”

A deputada Bia Kicis, que conduzia a sessão, teve de encerrá-la imediatamente

Monique Mello - 17/03/2021 16h22 | atualizado em 17/03/2021 20h14

Reunião na CCJ foi tumultuada
Reunião na CCJ foi tumultuada, com discussão acalorada entre deputados Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira (17), uma sessão da Comissão de Comissão de Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados foi bastante tumultuada.

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) referiu-se ao presidente da República, Jair Bolsonaro, como “genocida”.

– Esse presidente é um genocida, porque todos os atos que ele cometeu foram atos de matar pessoas. Tem vacina, e ele não comprou. Tem máscaras, e ele não adotou. Todos recomendavam que não houvesse aglomeração, ele promoveu. Quem o defende comunga dos seus atos e palavras. Ele [Bolsonaro] tem que ser julgado – declarou Teixeira.

O deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ) rebateu o petista:

– Se ele é genocida, você é um vagabundo!

A parlamentar Alê Silva (PSL-MG) endossou a fala do colega e também gritou “vagabundo”. Logo, os microfones foram cortados, e a deputada Bia Kicis, presidente da CCJ, encerrou a sessão.

A sessão interrompida analisava um recurso do deputado federal Emerson Miguel Petriv, conhecido como Boca Aberta (Pros-PR), que foi suspenso por seis meses pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa.

Ao compartilhar o episódio nas redes sociais, Jordy escreveu: “Vagabundos corruptos que saquearam o país e que têm a moral de ratos de esgoto merecem resposta à altura”.

 

 

Leia também1 Gentili posta censuras do PT e afirma que Lula se calou
2 Em vídeo, Felipe Neto defende o termo 'genocida' para Bolsonaro
3 Médicos lançam manifesto em defesa de Bolsonaro: 'Patriota'
4 Carlos Bolsonaro: "Nunca fomos a favor do autoritarismo"
5 Guedes discute com CCJ sobre reforma administrativa

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.