Leia também:
X Por 6 votos a 3, STF mantém cobrança do DPVAT em 2020

Vereador critica suspensão de show gospel no Réveillon

Alexandre Isquierdo disse que a sentença é sinal de perseguição religiosa

Paulo Moura - 21/12/2019 13h02 | atualizado em 21/12/2019 13h04

Alexandre Isquierdo criticou decisão que suspendeu show gospel no Réveillon do Rio Foto: Reprodução

O vereador do Rio de Janeiro, Alexandre Isquierdo (DEM), criticou a decisão da juíza Ana Cecília Argueso, da 5ª Vara da Fazenda Pública, de suspender o show da cantora gospel Anyle Sullivan, que estava previsto para a festa de Réveillon em Copacabana, Zona Sul da capital fluminense, no próximo dia 31. Para o vereador, a decisão é um sinal de preconceito.

– O nome verdadeiro para essa proibição é preconceito contra os evangélicos. A decisão é uma clara ofensa a nós evangélicos – disse.

Isquierdo utilizou como comparação as partes de um samba-enredo da Mangueira e de uma música do cantor Diogo Nogueira, cujas letras usam termos da umbanda e candomblé, que não sofreram quaisquer sanções judiciais.

– Esses cantos não são religiosos? Claro que são. Eu respeito a religião de todos, [mas] se a juíza proíbe a apresentação de qualquer artista religioso, ela também tem que proibir desses artistas – defendeu.

O parlamentar também classificou como vergonha a sentença dada pela juíza. E disse que os evangélicos não vão aceitar o que ele chamou de “perseguição religiosa”.

– Pagamos impostos, somos cidadãos com direitos e deveres. E qual é o problema, uma cantora evangélica se apresentar no Réveillon de Copacabana? Isso é preconceito e nós não vamos aceitar essa perseguição religiosa – completou.

Leia também1 Paes defende Crivella após Justiça proibir show gospel
2 RJ: Justiça manda suspender show gospel no Réveillon
3 Ateus vão à Justiça contra Crivella por show gospel

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.