Leia também:
X Anitta posta “cola” na mão de Bolsonaro, se arrepende e apaga

Veja quem são os empresários alvos de mandados de Moraes

Operação ocorre após executivos criticarem o Supremo Tribunal Federal e o PT em um grupo de mensagens

Paulo Moura - 23/08/2022 10h51 | atualizado em 23/08/2022 13h43

Oito empresários apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) são alvos de mandados de busca e apreensão que estão sendo cumpridos na manhã desta terça-feira (23) em diversos estados do Brasil. As medidas foram determinadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os empresários estão sendo investigados após fazerem críticas ao PT e ao Supremo em um grupo privado no WhatsApp. Nas mensagens, eles chegaram a afirmar que “golpe foi soltar o presidiário” e que os atos marcados para o próximo 7 de Setembro estão sendo programados “para unir o povo e o Exército”.

Confira abaixo quem são os oito alvos dos mandados determinados por Moraes:

– Afrânio Barreira Filho (Coco Bambu);

– Ivan Wrobel (W3 Engenharia);

– José Isaac Peres (Multiplan);

– José Koury (Barra World);

– Luciano Hang (Havan);

– Luiz André Tissot (Sierra);

– Marco Aurélio Raymundo (Mormaii);

– Meyer Joseph Nigri (Tecnisa).

Os mandados são cumpridos nesta terça-feira (23) em cinco estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Ceará. Além das buscas e apreensões, Moraes determinou o bloqueio das contas bancárias dos empresários, o bloqueio das contas dos empresários nas redes sociais, a tomada de depoimentos e a quebra de sigilo bancário.

Leia também1 Empresários são alvos de busca e apreensão ordenadas por Moraes
2 Bolsonaro ironiza entrevista ao JN: "Pronunciamento do Bonner"
3 Com Bolsonaro, JN tem maior ibope da TV brasileira em 2022
4 Bolsonaro sobre atritos com Moraes: "Estão pacificados"
5 Luxemburgo contesta PSB na Justiça após perder candidatura

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.