Leia também:
X “Devemos estar alinhados com as grandes nações”, diz Carlos

Veja 10 ‘fake news’ envolvendo o presidente Jair Bolsonaro

Em algumas, presidente precisou desmentir a publicação

Henrique Gimenes - 30/07/2019 17h03

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Marcos Corrêa/PR

Desde que assumiu a Presidência da República no dia 1º de janeiro, o presidente Jair Bolsonaro convive com desinformações e fatos que muitas vezes não correspondem à realidade. Grande parte das vezes, ele precisa utilizar suas redes sociais para desmentir as “fake news” a respeito dele ou de seu governo.

Para ajudá-lo a lembrar de algumas destas situações, o Pleno.News preparou uma lista com “desinformações” a respeito de Bolsonaro.

Bolsonaro nega ter conversado com Gustavo Bebianno após denúncias

Não necessariamente um episódio de fake news, mas uma grande confusão. Em fevereiro, Bolsonaro negou que tivesse conversado com o então secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, após uma denúncia do uso de candidaturas laranja. O caso ganhou repercussão e, após uma discussão público, Bebianno acabou deixando o cargo de ministro.

Demissão do ministro da Educação

Em março, o presidente Jair Bolsonaro desmentiu a jornalista Eliane Catanhêde, da GloboNews, após ela afirmar que o então ministro da Educação, Vélez Rodriguez, havia sido demitido. Em suas redes sociais, Bolsonaro corrigiu a jornalista e afirmou que o ministro continuava no governo. No entanto, Vélez acabou sendo dispensado no começo de abril.

Menina que não cumprimentou Jair Bolsonaro

Em abril, o jornal O Estado de S. Paulo se retratou após uma notícia errada a respeito de Jair Bolsonaro. O veículo publicou um vídeo de um evento com crianças e dito que uma menina havia se recusado a cumprimentar o presidente. Entretanto, o vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), utilizou suas redes sociais na noite para desmentir a fake news. Ele publicou o vídeo do momento exato em que aparece Bolsonaro falando com a criança. A menina havia apenas respondido uma pergunta do presidente.

Bolsonaro sem acesso ao Twitter

Também em abril, Jair Bolsonaro utilizou suas redes sociais para desmentir uma informação dada pela revista Época de que o presidente estaria sem acesso ao Twitter porque o vereador Carlos Bolsonaro, seu filho, havia vetado o acesso. Ao negar os fatos, o presidente chamou a notícia de “perseguição infantil”.

Impostos para igrejas?

Ainda em abril, Jair Bolsonaro publicou um vídeo negando que seu governo planejava a criação de um novo imposto para a igrejas. A informação havia sido dada previamente pelo secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo. No vídeo, o presidente garantiu que nenhum novo imposto seria criado.

Presidente Jair Bolsonaro e Michelle Bolsonaro Foto: PR/Carolina Antunes

Facada durante as eleições

Em maio, Bolsonaro foi entrevistado no programa de Danilo Gentili, no SBT, e aproveitou para acabar com as dúvidas de que tivesse sido realmente esfaqueado durante as eleições. O boato da “facada fake” circulava pelas redes sociais, mas Bolsonaro levantou a camisa no programa e, para acabar com as dúvidas, mostrou a cicatriz.

Fechar o Congresso

Quase no final de maio, Bolsonaro rebateu o colunista da Folha, Celso de Rocha Barros, que afirmou que o presidente queria “fechar o Congresso e o STF, censurar a imprensa e perseguir a esquerda. Por isso, não faz nada e força crises”. O presidente classificou o texto de 100% fake news e ressaltou que seu plano de governo não possuía nada relacionado a controle da mídia.

Cocaína em avião

Em junho, autoridades espanholas encontraram 39 kg de cocaína em avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que fazia parte da comitiva do presidente Jair Bolsonaro. Apesar de não ter nenhuma relação com o militar que estava com a droga, alguns usuários de redes sociais associaram a descoberta com Bolsonaro. A notícia, no entanto, chegou a ser rechaçada inclusive por integrantes da oposição, como o deputado Marcelo Freixo, do PSOL, que classificou de leviana a associação.

Copa América

Após a final da Copa da América, circulou a informação de que o meia Marquinhos não teria cumprimento o presidente Jair Bolsonaro durante a entrega de medalhas. O Brasil venceu por 3 a 1 a partida contra o Peru e se sagrou campeão. Com oo boato, o presidente decidiu publicar um vídeo em suas redes sociais desmentindo a informação e mostrando o atleta apertando sua mão antes de receber a medalha.

Fome no Brasil

No final de julho, Bolsonaro publicou um vídeo em suas redes sociais para rebater uma matéria publicada pelo Estadão sobre a fome no Brasil. O texto apontava uma fala de Bolsonaro durante um café da manhã com jornalistas em que disse que passar “fome no Brasil é uma grande mentira’. A matéria trazia duas pessoas entrevistadas e afirmava que elas passavam fome, mas Bolsonaro publicou um vídeo mostrando que não foi o que elas falaram.

Leia também1 Gleisi diz que ação de Moro "levou bandido à Presidência"
2 PT vai à PGR contra Bolsonaro por 'atacar' presidente da OAB

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.