Leia também:
X Homem morre após ser colocado em viatura da PRF com gás

TSE aprova 2 federações: PSDB com Cidadania, e Rede com PSOL

Siglas terão que atuar em torno de um programa comum por pelo menos quatro anos

Pleno.News - 26/05/2022 13h24 | atualizado em 26/05/2022 14h59

Ministros do TSE em sessão Foto: TSE/Secom/Antonio Augusto

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, por unanimidade, nesta quinta-feira (26), mais duas federações partidárias: uma do PSDB com o Cidadania, e a outra do PSOL com a Rede Sustentabilidade. As federações foram criadas com a reforma eleitoral aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional e exigem que as legendas aglutinadas atuem de forma conjunta.

De acordo com a regra, a federação precisa atuar em torno de um programa comum, como se fosse uma só sigla, por no mínimo quatro anos. A união vale nos níveis federal, estadual e municipal. Na terça (24), foi aprovada a primeira federação partidária do país: a aglutinação do PT, do PCdoB e do PV, denominada Federação Brasil da Esperança.

A federação entre PSDB e Cidadania é fruto de uma articulação do ex-governador João Doria. Na época, o tucano tinha o intuito de buscar apoio para a sua pré-candidatura ao Planalto. As duas siglas, junto ao MDB, pretendem lançar o nome da senadora Simone Tebet (MDB-MS) como candidatura de consenso para representar o “centro democrático”, como se autointitulam.

Já PSOL e Rede vão apoiar Lula, mas já liberaram seus filiados para escolherem os nomes com os quais desejam se vincular nas eleições de 2022.

*AE

Leia também1 Homem morre após ser colocado em viatura da PRF com gás
2 Doria vai decidir futuro político após "viagem de descanso"
3 Vaquinha para trazer Jesse Koz e Shurastey ao Brasil bate meta em poucas horas
4 Morto no Rio seria mandante de ataques a agentes de segurança
5 Shakira será julgada na Espanha por sonegação de impostos

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.