Leia também:
X Helicóptero pousou em hotel de Lula, mas petista ficou no local

Torres afirma que momento é “delicado e exige bom senso”

Ministro da Justiça disse que atos de vandalismo em Brasília serão "apurados e esclarecidos"

Pleno.News - 13/12/2022 09h30 | atualizado em 13/12/2022 10h42

Anderson Torres, ministro da Justiça Foto: PR/Alan Santos

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, se pronunciou no final da noite desta segunda-feira (12) acerca dos atos de vandalismo que aconteceram em Brasília. Torres disse que desde o início das “manifestações” o Ministério da Justiça, por meio da Polícia Federal (PF), manteve “estreito contato” com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Distrito Federal e com o governo distrital a fim de conter a violência e restabelecer a ordem.

– Tudo será apurado e esclarecido. Situação normalizando no momento – completou.

À coluna Grande Angular, do portal Metrópoles, ele declarou que “este é um momento delicado e que exige bom senso de todos os envolvidos no intuito de cumprir a lei, manter a ordem e garantir a segurança das pessoas”.

Já o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou ao Estadão que todas as forças policiais estavam nas ruas de Brasília, para conter os atos de vandalismo.

Segundo Ibaneis, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e o Grupamento Tático Operacional (Gtop) estavam nas vias públicas da capital federal.

– Cinco ou seis batalhões estão nas ruas – disse o governador do Distrito Federal, em mensagem de WhatsApp.

Ibaneis afirmou ainda que a diplomação do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), “correu muito tranquilamente”.

O tumulto foi iniciado depois que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou a prisão temporária do indígena José Acácio Serere Xavante, apoiador do presidente Jair Bolsonaro. A prisão foi decretada a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) por suposta ameaça, perseguição e manifestações antidemocráticas em vários pontos de Brasília.

A Polícia Federal disse, em nota divulgada também na noite desta segunda, que distúrbios verificados nas imediações do edifício-sede da corporação foram contidos com o apoio de outras forças da Segurança Pública do Distrito Federal, como as Polícias Militar e Civil e o Corpo de Bombeiros.

A PF confirmou na nota que cumpriu no fim da tarde desta segunda a ordem de prisão temporária expedida pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), “em desfavor de cidadão indígena”. Segundo a PF, o preso está acompanhado por advogados e tem resguardada sua integridade física e moral.

*Com informações da AE

Leia também1 Fotos: Brasília vive noite de caos com fogo em carros e ônibus
2 Prisão de cacique gera uma série de protestos em Brasília
3 Justiça condena governo a pagar indenização ao filho de Lula
4 Lula e Moraes vão a samba na casa de Kakay em Brasília
5 Alvorada: Bolsonaro acena para apoiadores e abraça crianças

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.