Leia também:
X “Jamais falei em violência na educação”, diz Milton Ribeiro

Toffoli suspende depoimentos de hackers de Bolsonaro

Dupla esteve envolvida na invasão de aparelhos de telefones de autoridades

Henrique Gimenes - 16/07/2020 17h28 | atualizado em 16/07/2020 18h00

Presidente do STF, ministro Dias Toffoli Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, decidiu suspender os depoimentos dos responsáveis por invadir os telefones celulares do presidente Jair Bolsonaro, do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, e de outras autoridades. Gustavo Elias Santos e Luiz Henrique Molição seriam ouvidos nesta quinta-feira (16).

A medida atende a um pedido feito pela Defensoria Pública, responsável pela defesa de ambos, que alegou não ter tido acesso a todas as provas e informações obtidas na investigação.

Gustavo Elias Santos e Luiz Henrique Molição foram presos na Operação Spoofing, que teve como alvo um grupo de hackers que invadiu os aparelhos de autoridades. Os dois fecharam um acordo de colaboração com a Justiça Federal.

Ao suspender os depoimentos, Toffoli, afirmou que sua decisão tem por objetivo “evitar eventual cerceamento de defesa, ante a ausência das informações solicitadas” e que por isso considerou “prudente suspender a audiência marcada para amanhã, dia 16/7/2020, às 14 horas, até que a autoridade reclamada se manifeste sobre o quanto alegado na petição inicial”.

A suspensão vale até que o juiz Vallisley de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal Criminal da Seção Judiciária do Distrito Federal, se manifeste.

Leia também1 "Jamais falei em violência na educação", diz Milton Ribeiro
2 Lacombe arrasa em estreia: "Não poderia estar mais feliz"
3 Malafaia chama o jornalismo da esquerda de medíocre
4 Bolsonaro transfere Ramos para a reserva do Exército
5 Padre rebate "conselho" de Huck a ministro da Educação

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.