Leia também:
X Antes de morrer, menino Henry revelou não gostar do padrasto

‘Tenho compromisso com o Brasil. Não penso em reeleição’

Presidente Jair Bolsonaro afirmou que irá enviar projeto ao Congresso, para definir o que é atividade essencial

Henrique Gimenes - 18/03/2021 19h59 | atualizado em 19/03/2021 11h41

Presidente Jair Bolsonaro em sua live semanal Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira (18), em sua tradicional live nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre a Covid-19 no Brasil, criticou as políticas de lockdown, mostrou preocupação com a economia do país e disse que pretende apresentar um projeto ao Congresso, para definir o que é atividade essencial.

Bolsonaro iniciou o assunto falando da situação da pandemia no Brasil, quando mostrou preocupação com o número de mortes, mas lembrou da importância da economia. Então, ele disse que pretende definir o que é considerado atividade essencial.

– Vou apresentar amanhã um projeto pedindo urgência ao Congresso para definir o que é atividade essencial – ressaltou.

Ele explicou que considera como essencial toda atividade econômica e disse estar preocupado com a saúde mental das pessoas.

– Para mim, atividade essencial é toda aquela necessária para se levar o pão para dentro da sua casa. “Ah, o cara faz bolinha de gude; isso não é essencial”. Se ele tem um filho numa escola particular, não vai pagar mais. Não vai pagar energia elétrica, impostos, aluguel. Qual vai ser o futuro dessa pessoa? Depressão – apontou.

O presidente afirmou que não dá para manter a situação como está e criticou a imprensa de “pinçar” frases dele para fazer críticas.

– Não dá para continuar como está […] Tem gente da Folha de S. Paulo, do O Globo, do Antagonista anotando aí… pegando uma frase perdida para me massacrar na imprensa. Mas não tem problema. Tenho compromisso com o Brasil. Não estou pensando em reeleição. Eu acabo com praticamente toda notícia ruim da imprensa sobre a Covid – destacou.

Por fim, Bolsonaro fez críticas às medidas de lockdown e afirmou que seu projeto não deve demorar para ser votado.

– Deixa o Parlamento decidir… não vai demorar. É urgência urgentíssima. Se bem que eu sei que tem gente passando fome, quer trabalhar hoje – lembrou.

Leia também1 Malafaia pede que Bolsonaro convoque as Forças Armadas
2 André Brandão renuncia ao cargo de presidente do BB
3 Presidente do PSDB: "Entre Lula e Bolsonaro, prefiro levar tiro"
4 Bolsonaro cancela ato simbólico de novo auxílio após morte de Olímpio
5 PM prende manifestantes do PT com faixa "Bolsonaro genocida"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.