Temer diz que governo federal acompanhará caso Marielle

Ele afirmou que assassinato à vereadora do PSOL e ao seu motorista é "atentado à democracia"

Pleno.News - 15/03/2018 11h17

Presidente Michel Temer declara que governo federal ajudará nas investigações Foto: PR/Alan Santos

O presidente Michel Temer se manifestou, nesta quinta-feira (15), sobre o assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL). Ele declarou que sua morte foi um “ato de extrema covardia” e se solidarizou com os familiares e amigos.

Pela rede social, o presidente também informou que colocará o Ministério da Segurança Pública à disposição para auxiliar nas investigações. O ministro Raul Jungmann segue para o Rio de Janeiro, a pedido de Temer, para acompanhar o caso.

A Polícia Civil do Rio abriu um inquérito para apurar a morte de Marielle e de seu motorista, Anderson Gomes. Segundo nota divulgada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, o interventor federal no estado, general Walter Braga Netto, pediu o apoio da Polícia Federal.

– Em relação ao assassinato da vereadora no Rio de Janeiro, a Polícia Federal acompanhará as investigações e prestará o todo apoio necessário ao caso – confirmou a PF.

Em pronunciamento pelo Twitter, o presidente afirmou que o assassinato da vereadora e de seu motorista, Anderson Gomes, é um “atentado ao estado de direito e à democracia”.

– É inaceitável e inadmissível, como todos os demais assassinatos que aconteceram no Rio de Janeiro. Por isso, aliás, nós decretamos a intervenção, para acabar com o banditismo desenfreado por força das organizações criminosas – alegou Temer.

O corpo de Marielle Franco é velado na Câmara dos Vereadores na manhã desta quinta-feira (15).

LEIA TAMBÉM
+ Prefeito do Rio decreta luto de 3 dias por morte de vereadora
+ Morte de vereadora repercute na imprensa internacional