Leia também:
X Policial militar e ex-agente da Polícia Civil são mortos no Rio

Temer afasta ideia de apoiar PT: “Me chamam de golpista”

Ex-presidente avaliou que MDB deve seguir com candidatura própria

Thamirys Andrade - 25/07/2022 10h47 | atualizado em 25/07/2022 12h44

Presidente Lula e dona Marisa durante coquetel comemorativo à diplomação da presidenta eleita Dilma Rousseff e o vice Michel Temer, realizado no Palácio Itamaraty, em Brasília.
Michel Temer, Dilma Rousseff, Lula e Marisa Foto: PR/Ricardo Stuckert

As esperanças do Partido dos Trabalhadores (PT) por um eventual apoio do MDB no primeiro turno devem terminar frustradas. Em declaração neste domingo (24), o ex-presidente Michel Temer, que é uma das principais lideranças emedebistas, indicou afastamento da legenda após a ex-presidente Dilma Rousseff reagir mal a uma fala dele chamando-a de “honestíssima”.

Segundo Dilma, o emedebista tenta aliviar sua “inconteste condição de golpista” ao tecer elogios a ela. A ex-líder do Planalto sofreu um impeachment em 2016, e Temer, que era vice-presidente à época, assumiu o cargo de chefe do Executivo. Desde então, vem sendo acusado de promover um golpe contra sua ex-parceira de chapa.

Em entrevista à jornalista Andréia Sadi, do portal G1, Temer avaliou a fala de Dilma como “violenta” e “grosseira”.

– A grave acusação que fiz foi chamá-la de honesta. Eles mandam emissários, mas como vamos apoiar se eles falam que é golpe? Se falam que a reforma trabalhista, que eu fiz, é escravocrata? Querem destruir com meu governo – completou.

Na última semana, o emedebista já havia se queixado dos ataques do ex-presidente Lula e seu partido às reformas econômicas que ele promoveu.

– O ex-presidente Lula fala em todo momento em “golpe”, que a reforma trabalhista foi coisa de escravocrata, que o teto de gastos prejudicou o país. Então, como eu vou dizer que eu vou apoiar alguém que quer destruir um legado positivo para o nosso país? – assinalou na ocasião.

Ainda neste domingo, Temer também avaliou que seu partido deverá seguir trabalhando para lançar uma candidatura própria, tendo como cabeça de chapa a senadora Simone Tebet. A cerimônia de oficialização de sua candidatura ocorrerá na próxima quarta-feira (27).

– Pelo que tenho ouvido, o partido quer seguir com candidatura própria, não vejo condições para o apoio no primeiro turno – analisou.

Leia também1 Ex-ministros do STF assinam manifesto pró-urnas eletrônicas
2 Emocionado, Jair Bolsonaro vai às lágrimas em fala de Michelle
3 Tarcísio confirma Marcos Pontes como pré-candidato ao Senado
4 Bolsonaro convoca apoiadores a irem às ruas em 7 de setembro
5 “Lobos não levarão a melhor”, afirma Ricardo Lewandowski

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.