Leia também:
X Relator vota a favor da cassação do mandato de Flordelis

STF: Weber dá 5 dias para Aziz explicar governadores na CPI

Ministra do Supremo é relatora de ação pedindo que governadores não sejam obrigados a depor

Henrique Gimenes - 01/06/2021 18h07 | atualizado em 13/06/2021 10h47

Ministra Rosa Weber Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu um prazo de cinco dias para que o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid preste esclarecimentos sobre a convocação de governadores. Na semana passada, nove governadores foram chamados para prestar depoimento no Senado.

Após a convocação, um grupo de governadores decidiu acionar o Supremo pedindo a suspensão da medida. Eles apontam que serem chamados para depor seria uma violação do pacto federativo e também à separação de poderes. Além disso, os políticos afirmaram que poderiam prestar esclarecimentos como convidados, o que faria com que o depoimento não fosse obrigatório.

A ministra Rosa Weber foi sorteada relatora da ação que foi apresentada na sexta-feira (28). Ela também pediu pareceres da Procuradoria-Geral da União (PGR) e da Advocacia-Geral da União (AGU).

Os governadores convocados pela CPI foram Wilson Lima (AM), Waldez Góes (AP), Ibaneis Rocha (DF), Helder Barbalho (PA), Wellington Dias (PI), Marcos Rocha (RO), Antônio Denarium (RR), Carlos Moisés (SC) e Mauro Carlesse (TO). Além deles, foram chamados ainda o ex-governador Wilson Witzel, do Rio de Janeiro, e a vice-governadora de SC, Daniela Reinehr.

Leia também1 Rosa Weber será relatora da ação de governadores contra CPI
2 Casa Civil acata STF e suspende presidente do Ibama
3 Salles quer ser ouvido pela PGR para 'esclarecer fatos'
4 Bolsonaro diz que Calheiros de relator da CPI é 'uma piada'
5 STF precisa estar “afinado” com a população, defende Luiz Fux

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.