Leia também:
X Supremo recebe pedido de impeachment de Paulo Guedes

STF: Moraes dá 30 dias para a PF tomar depoimento de Bolsonaro

Presidente será ouvido em inquérito que apura uma suposta interferência dele na Polícia Federal

Henrique Gimenes - 07/10/2021 17h58 | atualizado em 07/10/2021 18h26

Ministro Alexandre de Moraes determinou que a PF tome o depoimento de Jair Bolsonaro em até 30 dias Foto: Arte/Pleno.News

Nesta quinta-feira (7), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a Polícia Federal tome o depoimento do presidente Jair Bolsonaro em até 30 dias. Bolsonaro será ouvido presencialmente após enviar uma manifestação com sua decisão ao Supremo.

O presidente poderá marcar o dia e a hora para ser ouvido pela PF dentro do prazo de um mês. Bolsonaro irá falar sobre a acusação feita pelo ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, de que ele teria tentado interferir na Polícia Federal (PF).

Nesta quarta-feira (6), Bolsonaro comunicou ao STF, por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), que iria dar o depoimento pessoalmente à PF. A decisão ocorreu pouco antes de o Supremo iniciar um julgamento para decidir sobre a medida.

A análise sobre como o presidente prestaria depoimento à PF teve início em outubro do ano passado. Na ocasião, o relator da ação, o então ministro Celso de Mello, manifestou-se pela inquirição presencial do presidente.

O inquérito foi aberto em abril do ano passado após o ex-ministro da Justiça Sergio Moro acusar Bolsonaro de interferir na Polícia Federal a favor de seus filhos.

Leia também1 Bolsonaro informa ao STF que irá depor presencialmente à PF
2 Eleitores criticam Joice no PSDB, e Eduardo Bolsonaro ironiza
3 Alcolumbre explica demora na sabatina de Mendonça ao STF
4 Bolsonaro: Forças Armadas vão participar do processo eleitoral
5 PF pede ao STF a prorrogação de inquérito sobre Jair Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.