Leia também:
X Doria aciona STF para que Saúde envie mais doses de vacina

STF: Gilmar libera passaporte, e Crivella pode ir para embaixada

Ex-prefeito do Rio de Janeiro foi indicado para assumir a embaixada do Brasil na África do Sul

Henrique Gimenes - 13/08/2021 20h25 | atualizado em 13/08/2021 21h03

Ex-prefeito do Rio, Marcelo Crivella Foto: Agência Senado/Edilson Rodrigues

Nesta sexta-feira (13), o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), devolveu o passaporte do ex-prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. Com isso, ele poderá assumir o comando da embaixada do Brasil na África do Sul.

Crivella foi indicado em junho para ser embaixador pelo presidente Jair Bolsonaro. No entanto, o ex-prefeito estava impedido de deixar o Brasil, já que seu passaporte estava retido desde fevereiro deste ano.

Em 22 de dezembro de 2020, a nove dias do fim de seu mandato, Crivella acabou sendo preso preventivamente e solto no dia seguinte, acusado de ser o líder de uma organização criminosa que tinha como foco “aliciar empresários para participação em esquemas de corrupção”. Na semana passada, porém, o Ministério Público pediu o arquivamento desse processo por falta de provas.

Crivella já viveu na África do Sul na década de 90. No país, ele foi o responsável por fundar e expandir a Igreja Universal local. Foi lá também que ele iniciou a carreira de cantor religioso. O ex-prefeito já viajou em atividades missionárias para cerca de 20 países do continente africano, além da Índia e Filipinas, trabalhando na expansão internacional da Universal.

Leia também1 Governo indica nome de Crivella para ser embaixador, diz jornal
2 Doria aciona STF para que Saúde envie mais doses de vacina
3 Tarcísio Freitas critica prisão de Jefferson: 'Precedente perigoso'
4 Bolsonaro se irritou com a prisão de Roberto Jefferson, diz TV
5 ‘Bolsonaro, não espere a prisão do seu filho para se posicionar'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.