Leia também:
X Musk se manifesta após saber de bloqueios aplicados por Moraes

Sete perfis que postaram sobre atos foram suspensos do Twitter

Medida foi tomada, de acordo com a plataforma, para atender a uma "demanda legal"

Paulo Moura - 15/01/2023 13h00 | atualizado em 16/01/2023 12h51

Imagens da manifestação em Brasília com invasão do Congresso, STF e Planalto Foto: EFE/ Andre Borges

Sete perfis de influenciadores e políticos foram suspensos do Twitter por decisão judicial após fazerem postagens sobre os atos ocorridos em Brasília, no último domingo (8). As contas incluem páginas de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), como o perfil Te Atualizei, de Bárbara Destefani, e a professora Paula Marisa.

Além das duas, também foram bloqueados os perfis de três políticos que apoiam Bolsonaro, são eles: o deputado federal eleito Nikolas Ferreira (PL-MG), o deputado federal José Medeiros (PL-MT) e o senador eleito Alan Rick (União Brasil-AC). O youtuber Bruno Aiub, conhecido como Monark, e a página Patriotas também foram suspensos.

Ao tentar acessar os perfis dos afetados pela ordem judicial, os usuários recebem a mensagem de que eles estão com a “conta retida” em resposta a uma “demanda legal”. Porém, o aviso não informa especificamente qual demanda seria essa. Também não há informações oficiais a respeito de quem seria o autor da ordem para bloquear as páginas.

Apesar disso, o jornalista Glenn Greenwald publicou em seu perfil no Twitter um ofício que teria sido emitido pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no qual são citadas justamente as sete contas derrubadas da plataforma.

Glenn publicou ofício no qual Moraes estaria pedindo bloqueio de perfis Foto: Reprodução/Twitter

Leia também1 Queda de avião no Nepal deixa 68 mortos; buscas continuam
2 Filha de Elvis morreu após sofrer 2ª parada cardíaca, diz site
3 Musk se manifesta após saber de bloqueios aplicados por Moraes
4 Weber, Aras e Pacheco vão a enterro da esposa de Barroso
5 Glenn diz que a esquerda usa David Miranda para atacá-lo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.