Leia também:
X Entenda como funciona um respirador mecânico

Serviços essenciais: Bolsonaro critica atos de governadores

Em suas redes sociais, presidente falou governantes que pretendem não cumprir o decreto de serviços essenciais

Henrique Gimenes - 12/05/2020 15h24

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Alan Santos/PR

Nesta terça-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro utilizou suas redes sociais para criticar governadores que anunciaram a decisão de não cumprir o decreto que classificou os serviços de academias, salões de beleza e barbearias como essenciais durante a pandemia de coronavírus.

Em sua conta do Twitter, o presidente comentou a situação e deixou claro que a intenção do decreto é “atender milhões de profissionais, a maioria humildes, que desejam voltar ao trabalho e levar saúde e renda à população”.

O presidente também disse que os “governadores que não concordam com o decreto podem ajuizar ações na justiça ou, via congressista, entrar com Projeto de Decreto Legislativo”.

Ele ainda lembrou que “afrontar o estado democrático de direito é o pior caminho, aflora o indesejável autoritarismo no Brasil”.

Os serviços foram incluídos por Bolsonaro na categoria de essenciais nesta segunda-feira (11). Ao decidir pela medida, o presidente considerou tratar de serviços de higiene e que empregam mais de 1 milhão de pessoas no país. Ele ainda voltou a defender que é preciso tratar o vírus ao lado da questão do desemprego.

Apesar da crítica do presidente ao anúncio feito pelos governadores, um entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que estados e municípios é quem poderiam decidir quais serviços continuariam funcionando.

Veja o que disse o presidente:

– Alguns governadores se manifestaram publicamente que não cumprirão nosso Decreto n°10.344/2020, que inclui no rol de atividades essenciais as academias, as barbearias e os salões de beleza.

– Os governadores que não concordam com o Decreto podem ajuizar ações na justiça ou, via congressista, entrar com Projeto de Decreto Legislativo.

– O afrontar o estado democrático de direito é o pior caminho, aflora o indesejável autoritarismo no Brasil.

– Nossa intenção é atender milhões de profissionais, a maioria humildes, que desejam voltar ao trabalho e levar saúde e renda à população.

Leia também1 União! Apoiadores proclamam #JairCadaVezMaisForte
2 Bolsonaro promete envio de PL contra ideologia de gênero
3 Moro: Aras recorrerá ao STF contra transcrição de vídeo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.