Leia também:
X Bolsonaro posta foto “maromba” ao anunciar que zerou impostos

Sergio Moro indica que pode apoiar Bolsonaro no 2° turno

"Temos o mesmo adversário", declarou ex-juiz

Thamirys Andrade - 19/08/2022 12h56 | atualizado em 19/08/2022 14h31

Jair Bolsonaro e Sergio Moro Foto: PR/Carolina Antunes

O candidato ao Senado pelo Paraná, Sergio Moro (União Brasil), indicou, nesta quinta-feira (18), que pode apoiar o presidente Jair Bolsonaro (PL) em um eventual segundo turno entre o atual chefe do Executivo e o ex-presidente Lula (PT). Em vídeo publicado nas redes sociais, o ex-juiz da Lava Jato garantiu que “jamais” estará ao lado do PT e afirmou ter “desmontado” o esquema de corrupção do partido.

– Jamais [apoiarei Lula]. Isso é impossível. Eu decretei a prisão do Lula, eu desmontei o esquema de corrupção do PT, junto com as empreiteiras, com a Odebrecht. A Odebrecht tinha um departamento de propina, e um dos principais clientes eram políticos do Partido dos Trabalhadores. Jamais estarei ao lado do PT e do Lula. Você pode escrever na pedra – assegurou Moro.

Na sequência, o ex-ministro da Justiça comentou sua posição no que diz respeito a Bolsonaro em um possível segundo turno.

– Em relação ao Bolsonaro, uma coisa eu posso dizer: Nós temos o mesmo adversário – assinalou, sem entrar em mais detalhes.

O ex-juiz foi ministro do atual presidente, entretanto, os dois políticos não possuem mais uma relação amistosa desde a saída de Moro do governo em 2020. Na ocasião, ele acusou Bolsonaro de interferir no comando da Polícia Federal (PF). A organização, por sua vez, avaliou o caso e, em relatório enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou não ter identificado indícios de crime.

Julgado por nove juízes, Lula foi condenado em três instâncias pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Entretanto, o petista teve as sentenças anuladas pelo ministro do STF, Edson Fachin, sob o argumento de que a 13ª Vara Federal de Curitiba não era adequada para julgar os processos, e que estes deveriam tramitar na Justiça Federal do Distrito Federal.

Leia também1 Lira: "Questionar urnas não faz bem ao presidente Bolsonaro"
2 Youtuber que provocou Jair Bolsonaro queria ser candidato
3 Em sabatina, Fernando Haddad minimiza rejeição nas pesquisas
4 Gabriel Monteiro: "Deus me deu o mandato, Deus tomou"
5 PT processa Feliciano, e pastor diz que 'perseguição já começou'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.