Leia também:
X Luiz Lima diz que “Pacheco é um Rodrigo Maia esticado”

Senadores defendem votação de PL sobre salário de enfermeiros

Proposta é de autoria do senador Fabiano Contarato

Pleno.News - 27/04/2021 21h35 | atualizado em 28/04/2021 09h55

Senadores defendem votação de PL que fixa piso salarial para enfermeiros Foto: Pexels

Um grupo de senadores está defendendo a inclusão, na pauta do Plenário, de um projeto de lei que prevê um piso salarial para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, além de parteiras da rede pública e privada. A proposta (PL 2.564/2020) é de autoria do senador Fabiano Contarato (Rede-ES).

Na reunião de líderes, na última quinta-feira (22), o líder da Minoria, Jean Paul Prates (PT-RN), voltou a pedir ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que coloque a proposta em votação assim que a relatora, Zenaide Maia (Pros-RN), concluir seu voto.

— Atualmente 65% da força de trabalho do setor de saúde é da área de enfermagem. E eles não têm piso nem carga mínima. Trata-se de uma injustiça. É preciso não só reconhecer o heroísmo deles, mas valorizar a categoria profissional — disse Jean Paul.

O parlamentar lembrou que 23% dos profissionais do setor que morrem no mundo no combate à pandemia de Covid-19 são brasileiros. Um índice inaceitável, na opinião do parlamentar.

— O Brasil não tem 23% da população mundial. O número de vítimas aqui é muito maior do que em outros países. Então, onde está o problema? Nas condições de trabalho, no estresse, na longa jornada e nos dois ou até três expedientes que os trabalhadores são obrigados a cumprir — avaliou.

A proposta de piso salarial nacional para enfermeiros prevista no projeto tem por referência o sétuplo do atual salário mínimo. Segundo a proposta, técnicos de enfermagem receberão mensalmente pelo menos 70% desse valor referencial de sete salários mínimos; auxiliares de enfermagem e parteiras, 50%.

Nos valores de hoje, enfermeiros com curso superior receberiam ao menos R$ 7.315; técnicos, R$ 5,1 mil; e auxiliares e parteiras, R$ 3,6 mil.

Os valores são baseados numa jornada de 30 horas semanais e são válidos para União, estados, municípios, Distrito Federal e instituições de saúde privadas.

*Com informações da Agência Senado

Leia também1 Luiz Lima diz que "Pacheco é um Rodrigo Maia esticado"
2 Plano de Bolsonaro que protege Amazônia é repudiado por ONGs
3 Oposição quer 'ir ao ataque' com CPI contra Salles na Câmara
4 PSOL derrotado: Aras não vê crime de Bolsonaro em diálogo com Kajuru
5 Bolsonaro assina MP que auxilia empresas a manter empregos

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.