Leia também:
X “O processo eleitoral brasileiro é uma referência”, afirma Lira

Senador quer acabar com perdão individual dado pelo presidente

Senador Alessandro Vieira protocolou uma PEC definindo que a graça constitucional possa ser concedida apenas por decretos coletivos

Henrique Gimenes - 28/04/2022 17h41 | atualizado em 28/04/2022 18h09

Senador Alessandro Vieira Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Nesta quinta-feira (28), o senador Alessandro Vieira (PSDB-SE) apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que tem por objetivo impedir que o presidente da República conceda perdões por meio de decretos individuais. A ideia do parlamentar é que a graça constitucional possa ser concedida apenas por decretos coletivos.

A medida ocorre após o perdão concedido pelo presidente Jair Bolsonaro ao deputado federal Daniel Silveira (PTB). O parlamentar foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a oito anos e nove meses de prisão por “críticas” a membros da Corte. Bolsonaro, no entanto, editou um decreto dando graça constitucional ao deputado.

Em sua PEC, o senador falou sobre a origem do indulto e lembrou que no Brasil, ele “é concedido anualmente pelo Presidente da República e constitui uma medida com a finalidade de suavizar o rigor da justiça (supplementum iustitiae) em situações específicas (especialmente aquelas de caráter humanitário) e diminuir o contingente prisional, se presentes determinados requisitos constantes do decreto de sua concessão”.

Alessandro Vieira então apontou que o indulto, que é coletivo, “visa atingir objetivos essencialmente ligados ao interesse público, especificados no decreto de sua concessão, podendo beneficiar indistintamente todos aqueles que se enquadrarem em seus requisitos. Muito pelo contrário, a graça, como benefício concedido em caráter estritamente individual, não teria como alcançar esses objetivos, mas apenas aqueles relacionados a interesses puramente privados e muitas vezes não republicanos, ao favorecer a impunidade em prol de pessoas específicas”.

A íntegra da proposta pode ser vista aqui.

Leia também1 Otoni: "Eu não tenho como mandar prender um jornalista"
2 Lira diz a ministros do STF que Silveira não ficará na CCJ, diz TV
3 Após pressão, PTB avisa que vai manter Daniel Silveira na CCJ
4 Bolsonaro sobre indulto: “Me senti orgulhoso e feliz comigo”
5 Silveira ganha quadro com o perdão assinado por Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.