Leia também:
X Aécio é denunciado por obra de sede do governo de Minas Gerais

Sem férias! 4 ministros do STF decidem continuar trabalhando

Marco Aurélio Mello, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes optaram por seguir despachando

Pleno.News - 20/12/2020 08h57 | atualizado em 21/12/2020 12h31

Sede do Supremo Tribunal Federal Foto: Agência Brasil/Valter Campanato

Pelo menos quatro ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) recusaram-se a sair de férias e decidiram manter os trabalhos nas próximas semanas, o que, na prática, vai esvaziar os poderes do presidente da Corte, Luiz Fux, durante o plantão. O Supremo entra de recesso neste domingo (20).

Com a folga dos colegas, Fux ficaria responsável pela análise de todos os casos considerados urgentes, inclusive aqueles que estão sob a relatoria dos colegas. No entanto, Marco Aurélio Mello, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes comunicaram que vão seguir despachando durante o recesso.

Esta é a primeira vez, pelo menos nos últimos 15 anos, que um número tão grande de ministros decide manter as atividades de trabalho em pleno recesso. Na prática, o movimento esvazia os poderes de Fux ao longo das próximas semanas, até a retomada das atividades regulares do STF, em fevereiro.

Um dos temores de interlocutores de Fux é com o destino de um habeas corpus apresentado por um grupo de renomados advogados, cujo efeito poderá levar à soltura de criminosos condenados e presos no país.

Em uma ofensiva contra Fux, os criminalistas querem derrubar a liminar do magistrado que suspendeu, por tempo indeterminado, a implementação do juiz de garantias. A revogação da decisão pode abrir brecha para a anulação de condenações.

Até a publicação deste texto, o sistema eletrônico do STF não havia sorteado o relator do caso. Ao contestar duramente a liminar de Fux, o habeas corpus impediu a atuação do presidente da Corte no processo.

Em tese, o caso deveria ser encaminhado à vice-presidente do Supremo, Rosa Weber, que vai se revezar com Fux no comando do tribunal durante o plantão.

*Estadão

Leia também1 EUA confirmam seis casos de alergia grave à vacina da Pfizer
2 Bolsonaro garante continuidade de Guedes até o fim do mandato
3 Bolsonaro diz que há indícios de que Adélio não agiu sozinho
4 Boris Johnson diz que "nova Covid" é 70% mais contagiosa
5 Benjamin Netanyahu é vacinado contra a Covid-19 em Israel

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.