Leia também:
X Huck ‘explica’ alta do preço da carne: “Não é culpa do #FiqueEmCasa”

Secretários de Paulo Guedes se demitem após crise do teto fiscal

Governo enfrenta impasse sobre orçamento do ano que vem

Pleno.News - 21/10/2021 19h34 | atualizado em 22/10/2021 11h12

Ministro da Economia recebeu pedidos de demissão nesta quinta-feira Foto: PR/Alan Santos

A possível mudança do teto de gastos, para abrir espaço no Orçamento de 2022 para um auxílio de R$ 400, culminou na demissão em massa dos principais técnicos que assessoravam o ministro da Economia, Paulo Guedes.

O Ministério da Economia informou, nesta quinta-feira (21), os pedidos de exoneração do secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e de sua adjunta, Gildenora Dantas. Também pediram para deixar o cargo o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, e seu adjunto, Rafael Araujo.

De acordo com a nota da Economia, o motivo dos pedidos de exoneração é de “ordem pessoal”.

– Funchal e Bittencourt agradecem ao ministro pela oportunidade de terem contribuído para avanços institucionais importantes e para o processo de consolidação fiscal do país. Os pedidos foram feitos de modo a permitir que haja um processo de transição e de continuidade de todos os compromissos – afirmou o ministério.

*Com informações da AE

Leia também1 Bolsonaro anuncia auxílio diesel para ajudar caminhoneiros
2 Em evento, Jair Bolsonaro elogia Alcolumbre e critica Renan
3 Combustível: Transportadores iniciam greve contra Petrobras
4 Bolsonaro confirma Auxílio de R$ 400: 'Ninguém vai furar teto'
5 Mourão não vê problema em aprovar Auxílio acima do teto

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.