Leia também:
X “Sumiço de Dom e Bruno será esclarecido nas próximas horas”

Secretário de Guedes decide deixar o cargo

Um dos responsáveis pela privatização da Eletrobras, Diogo Mac Cord deve retornar à iniciativa privada

Gabriel Mansur - 15/06/2022 16h50

Secretário Diogo Mac Cord Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados

O secretário de Desestatização Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord, decidiu deixar o cargo nesta quarta-feira (15), segundo informações do jornal O Globo. A saída dele ocorre após a privatização da Eletrobras, processo em que teve participação direta e foi concluído nesta semana.

Segundo integrantes da equipe econômica, Diogo deve sair do posto até o fim do mês, depois de ser anunciado o seu substituto. O mais provável é que ele retorne para a iniciativa privada. O secretário já informou ao ministro da Economia, Paulo Guedes, da decisão.

Mac Cord está na equipe econômica de Paulo Guedes desde o início do governo Bolsonaro. Ele assumiu o cargo de secretário de Desestatização após a saída do empresário Salim Mattar, em agosto de 2020. Antes, atuou como secretário de Desenvolvimento de Infraestrutura.

Mac Cord era consultor da KPMG antes de ir para o Ministério da Economia. Ele é engenheiro mecânico, mestre em Administração Pública e doutor em sistemas de potência.

TRAJETÓRIA
Mac Cord foi um dos principais responsáveis pelo novo marco do saneamento básico, que abriu o setor para a iniciativa privada. O secretário assumiu a pasta de Desestatização com a missão de fazer deslanchar o programa de privatizações, que andou mais efetivamente neste ano.

A primeira venda de uma empresa feita diretamente pelo governo ocorreu no início de 2022, com a privatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), estatal federal que administra os portos do estado.

O leilão foi feito em janeiro e serviu como teste para a aguardada privatização do Porto de Santos (SP), o maior do país, ainda prevista para este ano.

O governo destaca sempre as vendas de subsidiárias como a BR Distribuidora e de participações minoritárias do BNDES, que já chegam a R$ 250 bilhões.

Leia também1 Eletrobras: Furnas aprova aporte para privatização prosseguir
2 Por 7 a 1, TCU aprova processo de privatização da Eletrobras
3 Governo autoriza realização de concursos para INSS e Receita

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.