Leia também:
X Renan diz que governo usa PF para influenciar na CPI da Covid

“Se Bolsonaro resistir, será derrotado em 2022”, diz Doria

Tucano afirma estar confiante não apenas na derrota de Bolsonaro, mas também na de Lula

Thamirys Andrade - 14/07/2021 11h25 | atualizado em 14/07/2021 12h04

Governador de São Paulo, João Doria Foto: Divulgação/Governo do Estado de SP

O governador João Doria (PSDB) declarou não acreditar que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) será reeleito em 2022. Em sua avaliação, caso o chefe do Executivo resista a um impeachment, será derrotado no próximo pleito.

– Existem mais de 125 processos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro registrados e protocolados no Congresso. Aliás, é o maior número de solicitações de impeachments da história. Inúmeros crimes de fato foram cometidos, mas só cabe essa decisão ao Congresso e ao clamor das ruas, que não houve, dado a pandemia e a necessidade de distanciamento, isolamento e uso de máscaras. Agora, com o avanço da vacinação, a população voltará às ruas e, pelo clamor das ruas, é que deverá decidir o Congresso Nacional. Se Bolsonaro resistir, será derrotado nas urnas em outubro de 2022. Ele não será reeleito presidente do Brasil – declarou Doria em entrevista ao Correio Braziliense.

O tucano afirma estar confiante não apenas na derrota de Bolsonaro, mas também na de Lula (PT).

– Nessas circunstâncias, vamos derrotar Jair Bolsonaro nas eleições de outubro de 2022. Aliás, derrotaremos não só Bolsonaro como o ex-presidente Lula. Nem direita nem esquerda. Nem horror nem terror. Nós vamos seguir um caminho alternativo, do PSDB.

Leia também1 Renan diz que governo usa PF para influenciar na CPI da Covid
2 Secom diz que Bolsonaro foi a hospital para tratar soluços
3 Bolsonaro ficará em observação por até 2 dias após ida a hospital
4 Gilmar manda governo avaliar vacinação de adolescentes
5 Bolsonaro, Fux, Lira e Pacheco se reunirão nesta quarta-feira

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.