Leia também:
X Moro: “STF perdeu legitimidade e força frente à opinião pública”

“Se a Petrobras decidir enfrentar o Brasil, ela que se prepare”

Pelo Twitter, presidente da Câmara reforçou críticas que já havia feito em artigo da Folha de São Paulo

Paulo Moura - 19/06/2022 16h25 | atualizado em 19/06/2022 16h33

Presidente da Câmara, Arthur Lira Foto: EFE/ Joédson Alves

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), fez novas críticas à Petrobras neste domingo (19) por causa da sua política de preços dos combustíveis e cobrou respeito da estatal ao povo brasileiro. Nas redes sociais, Lira afirmou que se “a Petrobras decidir enfrentar o Brasil, ela que se prepare: o Brasil vai enfrentar a Petrobras”.

– Não queremos confronto, não queremos intervenção. Queremos apenas respeito da Petrobras ao povo brasileiro. Se a Petrobras decidir enfrentar o Brasil, ela que se prepare: o Brasil vai enfrentar a Petrobras. E não é uma ameaça. É um encontro com a verdade – postou no Twitter.

Em artigo publicado neste domingo na Folha de São Paulo, de autoria do próprio presidente da Câmara e intitulado “Chegou a hora de tirar a máscara da Petrobras”, Lira escreveu que “ficou escancarada a dupla face da estatal”.

– Quando quer ganhar tratamento privilegiado do Estado brasileiro, a empresa se apresenta como uma costela estatal. Mas, na hora em que lucra bilhões e bilhões em meio à maior crise da história do último século, ela grita o coro da governança e se declara uma capitalista selvagem – diz trecho do texto.

As declarações marcam um momento tenso entre diversos personagens políticos, entre eles o presidente Jair Bolsonaro e o próprio Lira, e a Petrobras. Nos últimos dias, Bolsonaro tem defendido a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a companhia.

Lira, por sua vez, disse que a alta recente dos combustíveis foi uma retaliação do presidente da empresa, Mauro Coelho, contra Bolsonaro. O presidente da Câmara também anunciou que reunirá nesta segunda-feira (20) o colégio de líderes para discutir a política de preços da Petrobras e tentar reverter o lucro da empresa para a população.

*AE

Leia também1 Candidato de esquerda fala em fraude nas eleições da Colômbia
2 Fachin reitera convite a Forças Armadas para reunião no TSE
3 Bolsonaro celebra 'kits de literatura familiar' e lembra dos 'kits do PT'
4 Chefe da Otan diz que guerra na Ucrânia pode durar anos
5 Luciano Szafir tem melhora e recebe nova alta de hospital

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.