Leia também:
X Copacabana tem recorde de público na virada do ano

Saúde libera quase meio bilhão para municípios

Ministro Ricardo Barros publicou a liberação dos recursos ainda no dia 30 de dezembro

Emerson Rocha - 01/01/2018 15h58 | atualizado em 02/01/2018 11h31

Ministro Ricardo Barros trabalhou até o dia 30 Foto: Agência Brasil/José Cruz

Os hospitais públicos de centenas de municípios brasileiros tiveram uma boa notícia antes da virada do ano. Foi publicado no Diário Oficial, do último sábado (30), a liberação de quase meio bilhão de reais pelo Ministério da Saúde. Quem assinou o texto foi o ministro da pasta, Ricardo Barros.

Para mostrar o empenho na liberação desses recursos, ele até divulgou um vídeo nas redes sociais afirmando que a medida era para ajudar os “parceiros” do governo Temer.

— Hoje é dia 30 de dezembro. São mais de 17 horas. Acabou de rodar o Diário Oficial extra. Temos mais um diário oficial extra para empenhar e pagar todos os compromissos que assumimos aqui com nossos parceiros parlamentares, com nossos prefeitos, secretários de estado, que colaboraram com suas propostas para que as decisões do presidente Temer possam ser efetivadas — disse o ministro no vídeo.

Segundo Ricardo Barros na publicação, o Ministério alcançou números históricos em 2017 com empenhos, chamados de promessas de pagamento, e que pode superá-los este ano.

— Desejamos a todos um feliz 2018 para que nós possamos no próximo ano repetir mais uma vez esse recorde de empenhos, de entregas de recursos e de mais saúde para todos os brasileiros — afirmou.

Em todas as portarias liberadas no dia 30 de dezembro, o valor chega a R$ 436 milhões. A maior parte dos recursos foi para emendas parlamentares. Tudo para agradar a base aliada do governo visando votações importantes na Câmara e no Senado, como a Reforma da Previdência Social.

Leia também1 Presidente é diagnosticado com infecção urinária
2 Apenas 6% dos brasileiros aprovam governo Temer

Siga-nos nas nossas redes!
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.