Leia também:
X Após ação do PSOL, STF derruba decreto do presidente Bolsonaro

Saiba quem é Anderson Torres, novo ministro da Justiça

Nome foi anunciado nesta segunda-feira

Ana Luiza Menezes - 29/03/2021 20h18 | atualizado em 29/03/2021 23h08

Anderson Torres, novo ministro da Justiça e Segurança Pública Foto: Reprodução/ TV Globo

O delegado da Polícia Federal Anderson Torres foi anunciado nesta segunda-feira (29) como o novo ministro da Justiça e Segurança Pública. Ele conta com o apoio dos filhos do presidente Jair Bolsonaro e já teve o nome cotado para cargos no governo em outras ocasiões.

No comando do Ministério da Justiça, Torres será responsável por órgãos como Polícia Federal (PF); Secretaria Nacional do Consumidor; Departamento Penitenciário Nacional; Força Nacional de Segurança; Fundação Nacional do Índio; Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade); e Departamento de Migrações.

De acordo com o site da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, ele tem experiência em ciência policial, investigação criminal e inteligência estratégica. De 2003 a 2005, Anderson coordenou investigações da PF em Roraima, a respeito do combate ao crime organizado. De 2007 a 2008, foi responsável por coordenar a atividade de inteligência da PF na repressão a organizações criminosas de tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

Torres também já participou de investigações internacionais.

Antes de assumir a secretaria no governo do Distrito Federal, ele foi chefe de gabinete do então deputado federal Fernando Francischini (PSL-PR).

Leia também1 Bolsonaro troca 6 ministros de governo. Veja os novos nomes
2 Mendonça deixa Ministério da Justiça e reassume AGU
3 Advogado-geral da União, José Levi se demite do cargo
4 Ministro da Defesa Fernando Azevedo anuncia saída do cargo
5 Ministro Ernesto Araújo pede demissão do cargo de chanceler

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.